“A Maldição da Ponte” se cumpre

Escrito por:
(Imagem: Divulgação GCS/PMR)
(Imagem: Divulgação GCS/PMR)

Confirmando meu artigo “A Maldição da Ponte”, veiculado no blog Estela Boranga comenta e em outros órgãos de comunicação da cidade, no início de setembro do ano passado, a maldição acabou se abatendo sobre o atual prefeito Percival Santos Muniz (PPS), que foi derrotado no pleito por Zé Carlos do Pátio (SD), no dia 02 último.
No artigo, citei que vários gestores públicos haviam se dado mal em suas tentativas de se reeleger, em razão de ter colocado em seus projetos de governo, a construção de uma ponte.
No caso de Percival, creio que a maldição que possa ter causado sua derrota, não diz respeito somente à faraônica obra de arte que está construindo no prolongamento da avenida Lions Internacional – próximo à qual ele chegou mandar afixar uma enorme placa, informando que estaria sendo construída com recursos próprios, em mais uma “balelada” -, mas também à ponte sobre o córrego Queixada (no bairro que leva o nome de sua mãe, Dinalva Muniz, no prolongamento da avenida Goiânia), que está caída há quatro anos, completados em junho último.
Mesmo com algumas diferenças, a maldição procede já que usei inicialmente como exemplo no artigo, o personagem Odorico Paraguaçu (da novela O Bem Amado, de Dias Gomes) que no intuito de se reeleger, havia construído um cemitério novo na fictícia cidade de Sucupira e que acabou sendo ele o primeiro a ocupar uma cova, Percival ainda poderá ter o gostinho de inaugurar a sua faraônica obra – como me garantiram assessores próximos a ele – graças a recursos também da Caixa Econômica Federal e cruzar por ela, no entanto, pela primeira e última vez como prefeito de Rondonópolis.
No aguardo
Enquanto suas “articulações” na tentativa de alçar voos mais altos não se concretizam, a ex-secretária Municipal de Saúde e candidata a vice-Prefeito derrotada nas eleições de domingo, Marildes Ferreira do Rêgo, retornou hoje ao serviço público do município, por ser concursada no cargo de agente administrativo.
Marildes passou a cumprir horário no almoxarifado da Secretaria, onde se espera que seja competente no desempenho das funções, já que como titular da Saúde, passou bem longe disso.
Entretanto, como já começou querer fazer bagunça no PSD – entrando em confronto com políticos tradicionais do partido – como fazia no PPS, o pulo almejado pelas “articulações” pode dar errado. Muito errado!
Última bolacha do pacote
Ainda na manhã de segunda-feira, um dia após o pleito, segundo informações de fontes credibilíssimas, uma amiga confidente e próxima de Marildes do Rêgo, teria começado a espalhar o factóide – hábito muito bem herdado de seu ex-chefe, Percival Santos Muniz(PPS) – de que o candidato vencedor da disputa a Prefeito, Zé Carlos do Pátio (SD) teria estado nas primeiras horas da manhã na residência de Marildes, para convidá-la a assumir a Pasta da Saúde, em seu mandato que se iniciará em janeiro próximo.
Mesmo eu não tendo a mínima dúvida que isso não passava de mentira deslavada e tendenciosa, como jornalista mantive contato com alta fonte do staff de Zé Carlos, que com todas as letras, negou de pronto a veracidade de tal “notícia”, afirmando que sequer foi elaborada ainda, a lista do secretariado do futuro prefeito.
Provavelmente, maravilhada pelos holofotes da campanha, a candidata derrotada possa não ter se dado conta de que sua “ficha caiu” e estar se sentindo ainda, a “última bolacha do pacote”.

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *