Acuado, Bolsonaro recua de cortes orçamentários no MEC

Iminência da greve força recuo do "mito" (CD)
Iminência da greve força recuo do “mito”
(CD)

Diante da iminência de levar um pesado revés pelas suas malévolas intenções de cortar 30% do orçamento das universidades e institutos federais, com a greve geral da Educação projetada para acontecer amanhã (15) em todo o país, Jair Bolsonaro ligou no final da tarde de hoje para o ministro da Educação Abraham Weintraub, determinando que não haja mais cortes orçamentários no Ministério da Educação (MEC).
Segundo publicação do UOL há poucos minutos atrás, a ordem foi passada por Bolsonaro a Weintraub por telefone, em ato presenciado por lideranças situacionistas que estavam no Palácio do Planalto e que haviam sido derrotadas na sessão da Câmara dos Deputados, no início da tarde, por 307 votos a 82, pelos votos dos parlamentares da oposição e do Centrão, quanto à convocação de Weintraub para explicar amanhã,  às 15 horas, sobre os cortes no MEC.
Mesmo com Bolsonaro recuando diante da iminente greve na Educação a partir de amanhã, Weintraub tem de se fazer presente ao plenário da Câmara, já que o requerimento pela convocação implica obrigação em comparecer.
Bolsonaro sente na pele, o que vem a ser o tal do “Me peita, prá ver o que acontece”!