Alemanha corta apoio a projetos para salvar Amazônia

Escrito por:
Desmatamento avança rapidamente sobre a floresta, desde o início do governo Bolsonaro
(Reprodução)

Dentre ações de governos estrangeiros, contrárias às declarações “miguelentas” e “escrachadas”  de Jair Bolsonaro sobre o desmatamento e a política ambiental que seu (des) governo pretende implantar no País, o governo da Alemanha anunciou no último sábado (10), a suspensão de parte de seus subsídios a projetos de proteção da floresta amazônica.
O anúncio foi feito pela ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, ao jornal “Tagesspiegel”, que declarou ainda que a política do governo brasileiro para a Amazônia, “ gera dúvidas sobre a continuação de uma redução sustentável do índice de desmatamento”.
Numa primeira etapa de corte de recursos, está o bloqueio de um subsídio de € 35 milhões, dirigidos a projetos de preservação da floresta e da biodiversidade brasileira, “até que as cifras voltem a ser animadoras”, cita o diário alemão, acrescentando que a Alemanha, entretanto, continuará contribuindo para o Fundo da Amazônia, criado em 2008.
De lá para cá, o governo alemão liberou um total de € 95 milhões, para diferentes projetos de proteção ambiental no Brasil.
Entretanto, o Fundo também pode estar ameaçado, já que a Noruega, sua doadora mais generosa, ameaça se retirar do apoio, anunciando que seus pagamentos ao Brasil, seriam reduzidos à metade e poderiam até ser extintos no futuro.
Só para se ter uma ideia, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) informou na semana passada, que o desmatamento na Amazônia brasileira totalizou 2.254 km² em julho, 278% a mais do que no mesmo mês de 2018 (596,6 km²).
Enquanto isso, Bolsonaro sugere que para se preservar o meio ambiente, os brasileiros façam cocô, dia sim, dia não.
É demais!!!
Da Redação com AFP


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *