Assassino de Tabata é condenado a mais de 20 anos de prisão

Escrito por:
Tabata foi assassinada com quatro tiros

Valdinei Sousa da Silva, vulgo “Vavá”, acusado de matar a travesti Tabata Brandão em junho de 2017, recebeu sentença de 20 anos e seis meses de prisão em julgamento ontem, conforme decisão do Tribunal do Júri, prolatada pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Rondonópolis, Wagner Plaza Machado Júnior.
Tabata, com 30 anos à época, foi assassinada com quatro disparos por arma de fogo no início por voltas das 05h30 da manhã do dia 25 de junho daquele ano, numa rua do bairro Novo Horizonte nos fundos de uma empresa de sementes em Rondonópolis, após discussão com Valdinei da Silva, conforme relato de testemunhas que se dirigiam ao trabalho e presenciaram o fato.
Os fatos
Segundo as investigações da Polícia Judiciária Civil (PJC), no amanhecer daquele dia Valdinei passou de motocicleta onde Tabata e outras travestis estavam, proferindo palavras de cunho homofóbico.
Como Tabata revidou aos xingamentos, o acusado foi até sua casa e retornou armado, efetuando os disparos (três pela frente e um pelas costas) contra a vítima, que caiu morta de bruços na rua, quando tentava escapar dos disparos, não tendo chances de se defender.
Fuga
Após cometer o assassinato, Valdinei Sousa da Silva empreendeu fuga, tendo sido preso em setembro daquele ano, em sua casa no bairro Pedra 90, após ação entre a PJC, a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal.
Após a condenação, Valdinei foi levado de volta à Penitenciária Regional Major Eldo de Sá Corrêa- Mata Grande, em Rondonópolis, onde passa a cumprir a pena imposta pelo Tribunal do Júri.


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *