Atentado: advogado ferido por bomba recebia ameaças

Escrito por:
Policiais foram presos em Goiânia
(Montagem: Murillo Velasco/G1)

O advogado Walmir Oliveira da Cunha, de 37 anos, que perdeu três dedos ao receber uma bomba que explodiu em seu escritório, em julho deste ano, em Goiânia, falou sobre a prisão de dois policiais federais aposentados, apontados como os autores do atentado. Segundo ele, a motivação foi uma ação familiar envolvendo a guarda da neta de um dos suspeitos.
“Percebi que esse seria o desfecho quanto a autoria desse atentado, sobretudo diante da forma que essas partes [suspeitos] se comportaram durante a tramitação da ação, de maneira muito intimidadora, com ameaças veladas, com ameaças inclusive a autoridade judicial. Eles devem receber as punições previstas em lei, pois ali foi um crime hediondo”, disse Walmir.
Envolvidos
Os suspeitos, os policiais federais aposentados Ovídio e Valdinho Rodrigues Chaveiro, que são irmãos, foram presos pela Polícia Civil, ontem. Segundo a corporação, além dos dois mandados de prisão temporária contra eles, também foram cumpridos sete de busca e apreensão e três de condução coercitiva.
O delegado Valdemir Pereira da Silva, responsável pelo caso na Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), também afirmou que a suspeita é que o crime tenha sido motivado por uma ação familiar, ganha pelo advogado.
“Neste momento a polícia está analisando todos os objetos apreendidos e posteriormente falará mais sobre os fatos. Queremos deixar claro que recebemos o apoio da Polícia Federal e do Instituto de Criminalística, nesta ação”, disse o delegado.
Nota
Já a Superintendência Regional da Polícia Federal (PF) em Goiás informou, em nota, que a corporação “participou dos cumprimentos dos mandados de prisão”, “repudia o ato e reafirma seu comprometimento no combate à criminalidade em todas as suas vertentes, em respeito ao Estado Democrático de Direito”.
Atentado
O atentado aconteceu no último dia 15 de julho, quando o Walmir recebeu um pacote de uma bebida em seu escritório, mas o conteúdo explodiu assim que foi aberto. Um segurança que trabalhava em um estabelecimento próximo ao local socorreu o advogado. A vítima perdeu três dedos e quebrou o pé por causa da explosão.
Os dois policiais federais devem responder por tentativa de homicídio qualificado, por crime de explosão e também por crime de dano contra o escritório da advocacia, que ficou destruído.
Eles devem permanecer na carceragem da Polícia Federal em Goiânia, por 30 dias.
Com G1 GO

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *