Bem acompanhado

Escrito por:
Empresa de Mattar violou a lei
(Rede Brasil Atual)

Jair Bolsonaro anunciou durante sua campanha, que iria combater intransigentemente a corrupção e outros atos  contrários ao cumprimento da Lei.
No entanto, a teoria na prática, é outra.
Não bastasse o deputado Onyx Lorenzoni (DEM) – nomeado ministro de Estado Extraordinário para coordenar a equipe de transição – ter sido perdoado por Sergio Moro por crime eleitoral pelo recebimento da empresa JBS, de R$ 100 mil em doações não declaradas para custear despesas de campanha, como ele próprio admitiu, e o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, indiciado pela Polícia Federal em fraudes com fundos de pensão, mais um nome a ser nomeado está ligado a atos que contrariam o apregoado por Bolsonaro.
Trata-se do empresário Salim Mattar – proprietário da empresa Localiza Rent A Car -, que foi anunciado como futuro secretário de Privatizações, pasta ligada ao futuro Ministério da Economia.
Prática abusiva
A empresa comandada por Mattar, apesar de notificada anteriormente, foi multada ontem (3) pelo Procon de Minas Gerais, em mais de R$ 1 milhão por prática abusiva de preços – taxa indevida de 12% – na locação de veículos.
“A empresa violou o direito à informação adequada e clara sobre o preço do produto ofertado e impõe onerosidade excessiva ao consumidor. Há um acréscimo de 12% no pagamento final, sem o devido aviso ao cliente sobre o que significa o valor. É uma forma de induzir o consumidor ao erro, pois a empresa anuncia uma tarifa que, ao final, é acrescida de 12% sobre o valor global do contrato”, afirma o Procon mineiro, em nota.
Da Redação com Rede Brasil Atual

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *