Cocaína apreendida no avião, em Goiás
(Moldura Blog Holofotes)

O jornalista Silvio Navarro escreve em seu blog Holofote de hoje que, conforme informou na semana passada, as investigações da Polícia Federal (PF) indicavam que o bimotor Piper Aircraft 23 (matrícula PT-IIJ), interceptado no interior de Goiás pela Força Aérea Brasileira com mais de 650 quilos de cocaína, estava registrado em nome de um “laranja”.
Segundo o blogueiro, o proprietário é Jeison Moreira Souza, de 26 anos, nascido na pequena Santa Rosa do Viterbo, no interior de São Paulo, que há dez anos reside em Campo Grande (MS) e trabalha com instalação de telefones, depois de tentar a vida como motorista de caminhões.
Na conversa, por telefone, ontem, com Jeison Moreira Souza, Silvio Navarro confirmou que ele é mais um “dono-laranja”, de aeronave que transportava entorpecentes, assim como já aconteceu em outros casos anteriores, em que aviões caem ou são interceptados pelas forças policiais, ficando incólumes e protegidos pelo anonimato dos acontecimentos, os verdadeiros donos e mantenedores da atividade criminosa no Brasil.
Veja a entrevista:
-Você é o dono do avião que transportava cocaína?
-Não. Hás uns dois ou três anos, um primo me pediu para fazer a documentação a pedido de um amigo dele. Eu assinei o contrato de compra. Mas o avião já foi vendido duas vezes.
-Mas você conhecia esse amigo dele?
-Não.
-Por que aceitou assinar? Não teve receio de emprestar seu nome a um desconhecido?
-Não, eu morava com esse meu primo, trabalhava com ele na garagem dele de vendas de carros e caminhões.
-Se o avião já foi vendido, por que ele ainda estava no seu nome?
-Eu também não sabia que ainda estava em meu nome. Esse avião já foi vendido duas vezes. Quando saiu a notícia, telefonei para a pessoa que comprou o avião quando ele foi revendido e ele disse que tinha o contrato de compra e venda, mas não tinha conseguido pagar o documento da Infraero para transferir o avião de nome.
-Como se chamam o atual dono para quem você telefonou o e o amigo para quem assinou assinou esse documento?
-Prefiro não responder. Mas o segundo comprador, com quem já conversei, disse que eu poderia passar o telefone dele caso a Polícia Federal me procurasse.
-A Polícia Federal te procurou?
-Ainda não. Acho que se eles suspeitassem que eu estou envolvido com algo errado, já teriam vindo atrás de mim.
-Você recebeu dinheiro por ter colocado o bimotor em seu nome?
-Não.
-Você se arrepende de ter emprestado o nome?
-Não, porque não aconteceu nada comigo. Continuo trabalhando normalmente.
-Já usou o avião?
-Nunca nem o vi.
Com Silvio Navarro/Holofote/Veja.com

Nos boatos, Lulinha e Lula seriam ligados à Friboi
(Internet)

Na entrevista arrasadora do empresário Joesley Batista concedida à revista Época desta semana – em que ele apontou Michel Temer, como chefe da “maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil” – o empresário acabou de vez com o factóide de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus parentes seriam sócios da JBS, dona da marca Friboi.
Questionado pelo jornalista da revista, num determinado trecho da entrevista, do por que nunca ter gravado conversa com Lula, como gravou a que teve com Temer, o empresário foi direto: “porque eu nunca tive uma conversa não republicana com o Lula. E só estive com Lula, uma única vez, enquanto ele foi presidente, em 2006, quando assumi o comando da empresa JBS”, frisou ele.
Em 2014, boatos e montagens foram disseminados pela internet, dando conta de que Lulina, filho de Lula, era dono da Friboi.
Incompetente
Em nota, Michel Temer diz que Joesley Batista protegeu o PT, alegando que a JBS  cresceu no governo Lula e não no dele.
A realidade, no entanto, mostra que praticamente todas as empresas brasileiras cresceram com Lula e afundaram com o golpe perpetrado por Temer e seu grupo corrupto, com apoio dos partidos de direita.
Da Redação com Brasil 247

Laudenir falou sobre os objetivos
Laudenir Gonçalves falou sobre os objetivos

No final da tarde de ontem foi lançado em Rondonópolis, o projeto Panorama das Artes Mato-Grossenses (PAM), com o tema “Re-descobertas”, no Espaço Cultural do Casario, que contou com membros do segmento, autoridades, convidados e órgãos de imprensa.
O blog Estela Boranga comenta esteve presente prestigiando o ato e numa rápida entrevista com o curador da mostra, Laudenir Antonio Gonçalves – professor universitário e membro da Associação Brasileira dos Críticos de Arte -, nos colocamos a par dos objetivos do evento, mais detalhadamente.
Segundo ele, o projeto busca promover a democratização do acesso aos bens culturais, favorecendo a formação de um público receptivo, “não só às artes plásticas, mas também à música, ao grafite, às danças e a outras linguagens artísticas”, frisou ele, enfatizando que a visitação do público, viabilizará uma interação com os artistas, “que darão informações e explicações, sobre suas obras. Enfim, busca-se a socialização efetiva, abrindo espaço a todos: artistas e sociedade”, disse ele.
O despertar do gosto pelas artes, de um modo geral, é objetivo do projeto, que propiciará acesso aos adolescentes e jovens de Rondonópolis, sobretudo às crianças das escolas que compõem a Rede Municipal de Ensino, “as quais visitarão a mostra e poderão conversar com os artistas, obtendo maiores informações sobre cores, técnicas e outros”, concluiu o curador.
Paralelamente, o projeto visa mapear os artistas mato-grossenses e levá-los a interagir com o grande público, para que se tornem conhecidos também, fora do circuito das artes.

O secretário Municipal de Cultura, Luciano Carneiro, considera uma importante oportunidade para os artista e a população, a realização de evento desse porte. “Trata-se de mais uma ação de valorização das artes de Rondonópolis, ressaltando a cidade como polo criativo do segmento artístico de Mato Grosso, favorecendo o intercâmbio cultural entre os participantes e a comunidade”.
Artistas
Panorama das artes Mato - grossense 02O projeto homenageia o artista plástico Wander Melo, pelos mais de trinta anos de atuação no campo das artes plásticas e conta com a participação de sete artistas locais, de várias vertentes da arte, como Tânia Prado, Marlene, Touva, Paulo Pires, Djalma Santos, Sebastião Veloz, Valcides Arantes e Mando Nunes, que receberam kit de materiais para desenvolvimento de seu trabalho artístico.
Programação
O evento será realizado no período de 07 a 11 de setembro próximo e além da participação dos artistas mencionados, também contará com apresentações da Orquestra Sinfônica Jovem da Prefeitura de Rondonópolis; de grupos afro-religiosos, que realizarão a segunda edição do Tambores da Independência, mostrando ao público a participação e contribuição do negro na história brasileira; e da performance do grafiteiro cuiabano Baboo 678, no dia do encerramento.
O projeto já foi realizado em Várzea Grande e depois de Rondonópolis será levado a Barra do Garças, Sorriso e Alta Floresta, se encerrando em Cuiabá no próximo ano.
O evento é promovido pela Associação Cuiabana de Belas Artes (Acuba) e se tornou possível, em razão da apresentação de uma emenda parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado, pelo deputado Gilmar Fabris (DEM), contando ainda com apoio do município de Rondonópolis e de empresas locais.

Fotos:Varlei Cordova/Panorama das Artes