whatsAppO presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, suspendeu, agora à tarde, decisão do juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias (RJ) e determinou o imediato restabelecimento do serviço de mensagens do aplicativo Whatsapp.
Não há previsão de quanto tempo levará para o aplicativo voltar a funcionar. Mas, por volta das 17h50, usuários de São Paulo já relatavam que o serviço tinha voltado a operar.
Ao final da manhã de hoje, as empresas de telefonia receberam uma notificação para bloquear o aplicativo depois de o Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, se recusara a cumprir uma decisão judicial e fornecer informações para uma investigação policial.
Para o presidente do Supremo, o bloqueio foi uma medida desproporcional porque o WhatsApp é usado de forma abrangente, inclusive para intimações judiciais, e fere a segurança jurídica.
Na decisão, Lewandowski destacou que o entendimento da juíza do Rio foi “pouco razoável e desproporcional” porque deixou milhões de brasileiros sem o meio de comunicação.
O ministro destacou que o Marco Civil da Internet tem como princípio a garantia da liberdade de expressão e comunicação. E afirmou que a lei tem preocupação com a segurança e com a funcionalidade da rede.
O presidente do Supremo considerou que as mensagens instantâneas têm grande impacto na vida dos cidadãos e que a própria juíza do Rio destacou que o WhatsApp tem mais de 1 bilhão de usuários no mundo – o Brasil é o segundo país com mais usuários.
Lewandowski disse que, ao tomar a decisão, não entrou no debate sobre a obrigação de a empresa fornecer informações requisitadas por autoridades.
Da redação com G1 Brasília

whatsAppPela quarta vez, a Justiça manda bloquear o aplicativo, em todo o País
Ao final da manhã de hoje, a Justiça do Rio de Janeiro determinou o bloqueio do WhatsApp em todo o Brasil.
Uma notificação foi enviada para as empresas de telefonia, após o Facebook se recusar a cumprir uma decisão judicial e fornecer informações para uma investigação policial.
A decisão tomada pela juíza Daniela Barbosa manda as operadoras suspenderem o acesso imediatamente.

Segundo a GloboNews, as provedoras de conexão foram notificadas da decisão por volta das 11h30. O bloqueio teve início as 14h30min, horário de Brasília, sem previsão de retorno da atividade.
O Facebook informou que não vai se manifestar e a assessoria do Whatsapp disse que não tem ainda uma posição sobre a decisão. Esta é a quarta vez que um tribunal decide pela suspensão do acesso ao aplicativo no Brasil. Diferentemente das outras decisões, não há um prazo definido para o retorno do serviço, assim que ele for bloqueado.
‘Impossibilidades técnicas’
Segundo Barbosa, o Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, foi notificado três vezes para interceptar mensagens que seriam usadas em uma investigação policial em Caxias, na Baixada Fluminense. A juíza acrescentou que a empresa respondeu através de e-mail, com perguntas em inglês, “como se esta fosse a língua oficial deste país” e tratou o Brasil “como uma republiqueta”. O Whatsapp diz não cumprir a decisão “por impossibilidades técnicas”.
Segundo a decisão, o que se pede é “a desabilitação da chave de criptografia, com a interceptação do fluxo de dados, com o desvio em tempo real em uma das formas sugeridas pelo MP, além do encaminhamento das mensagens já recebidas pelo usuário (…) antes de implementada a criptografia.”
O bloqueio anterior do Whatsapp foi em maio de 2016. Outro bloqueio aconteceu em dezembro de 2015, quando a Justiça de São Paulo ordenou que as empresas impedissem a conexão por 48 horas em represália ao WhatsApp ter se recusado a colaborar com uma investigação criminal.O aplicativo ficou inacessível por 12 horas e voltou a funcionar por decisão do Tribunal de Justiça de SP.
Bloqueio em maio
A investigação que culminou no bloqueio em maio foi iniciada após uma apreensão de drogas na cidade de Lagarto, a 75 km de Aracaju. O juiz Marcel Montalvão pediu em novembro de 2015 que o Facebook informasse o nome dos usuários de uma conta no WhatsApp em que informações sobre drogas eram trocadas. As informações desse processo corriam em segredo de Justiça.
Segundo o delegado Aldo Amorim, membro da Diretoria de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal em Brasília, a investigação foi iniciada em 2015 e esbarrou na necessidade informações relacionadas às trocas de mensagens via WhatsApp, que foram solicitadas ao Facebook. A empresa não cumpriu a decisão.
Com informações: G1 SP e RJ

Sem-Título-1-20-392x272A partir da próxima segunda-feira (25), os mutuários da Caixa Econômica Federal poderão financiar imóveis de até R$ 3 milhões, o dobro do limite de financiamento em vigor até agora, de R$ 1,5 milhão.
A mudança foi anunciada hoje (18) pela instituição financeira e afeta somente operações de crédito do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Essa modalidade de crédito financia imóveis mais caros, sem emprestar dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
Além de aumentar o limite de crédito, a Caixa anunciou que passará a financiar uma parcela maior do valor dos imóveis por meio do SFI. A cota de financiamento para imóveis usados subiu de 60% para 70% do valor total. Para a compra de imóvel novo, construção em terreno próprio, aquisição de terrenos e reforma ou ampliação, a cota passou de 70% para 80%.
Nas operações contratadas com interveniente quitante, nas quais haverá quitação de financiamento com outra instituição financeira, a cota de financiamento subirá de 50% para 70%. Até o início do ano passado, a Caixa financiava 70% dos imóveis adquiridos pelo SFI. O teto caiu para 40% em maio de 2015 e tinha sido reajustado para 60% em março deste ano.
Perfil
Em nota, o banco confirmou que estuda a personalização dos juros e das cotas de financiamento conforme o perfil do cliente, mas esclareceu que esse modelo ainda não tem data para entrar em vigor. “A Caixa esclarece que o novo modelo de concessão de crédito, que levará em consideração aspectos de perfil do cliente como rating ou menor quota de financiamento, ainda está em estudo e não tem previsão de data de lançamento”, destacou a instituição financeira.
As mudanças de hoje não afetam as operações do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que financia a compra de imóveis de até R$ 750 mil em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Distrito Federal e de até R$ 650 mil nas demais localidades do país. O SFH financia imóveis com recursos da poupança e do FGTS. O SFI financia unidades de maior valor, com recursos de fundos de pensão, fundos de renda fixa, companhias seguradoras e bancos de investimento.

Candidatos em lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni) têm hoje (18) e amanhã, para comparecer às respectivas instituições de ensino para a qual se candidataram e apresentar a documentação que comprova as informações prestadas na inscrição.
O ProUni seleciona estudantes para receber bolsas de estudo em instituições particulades de ensino superior com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). São ofertadas, neste segundo semestre, 125.442 bolsas – 57.092 integrais e 68.350 parciais, de 50% – em 22.967 cursos de 901 instituições de ensino superior.
A lista de espera do Prouni estará à disposição das instituições com a classificação dos estudantes por curso e turno, segundo as notas obtidas no Enem de 2015. A lista será usada na convocação de candidatos para preenchimento de bolsas eventualmente não ocupadas nas duas chamadas regulares.
Para integrar a lista de espera, os candidatos tiveram que confirmar a inscrição até o último dia 11. A relação dos candidatos participantes da lista foi divulgada no dia 14. Agora, independente de terem sido chamados, todos os candidatos em espera deverão comparecer às instituições. A documentação necessária está disponível no site do ProUni.
Com informações: Agência Brasil

Pça dos Carreiros
Maquete da praça “revitalizada
Anunciadas ainda em fevereiro do ano passado, com “banda, pompa e circunstância” pelo prefeito Percival Santos Muniz (PPS), como lhe é característico, as obras para revitalização da Praça dos Carreiros – marco histórico da cidade – teve a primeira etapa dos serviços, licitada somente em junho de 2015.

Essa primeira etapa, previa a construção de plataforma, carro de bois – monumento em concreto -, passando depois a mais três etapas, que envolveriam a construção de um chafariz luminoso e de um grande palco para eventos artísticos, a construção de um mini-terminal de transporte urbano, de lojas, e de banheiros públicos com os critérios de acessibilidade para portadores de necessidades especiais.

Por fim, estaria prevista a urbanização, com a reforma de canteiros, paisagismo, troca da pavimentação da praça, iluminação de led e construção de um parque infantil.
Mas, pelo que mostram as imagens captadas pelo blog na manhã de ontem, o “assanhamento” parou por aí.
O projeto de revitalização, a exemplo de tantas outras obras anunciadas com “foguetório” pela “turma do lado de lá”, está à deriva, apesar do anúncio  – sempre precipitado – de que a inauguração se daria no dia 10 de dezembro passado, data do aniversário da cidade.
O coreto, serve de abrigo para andarilhos.
Enquanto obras de suma importância estão paralisadas e a cidade sofre novamente com buracos por tudo que é lado, as obras da ponte – no prolongamento da avenida Lions Internacional -, vão muito bem, obrigado!
Vejam, como está  a “revitalização”:

circobrasilSe contra-pondo ao que setores da elite brasileira consideram o Bolsa Família, o Bolsa Empresário “forrou os bolsos” de quem já tem muito.
Segundo o jornal Folha de São Paulo, o empresário e produtor mato-grossense, Eraí Maggi, conhecido como o “rei da soja”, foi um dos que se beneficiaram com o “Bolsa Empresário”; programa de incentivos, extinto há pouco, pelo governo federal.
Segundo a Folha, Eraí Maggi abocanhou R$ 297,6 milhões em empréstimos subsidiados no BNDES, para a compra de máquinas e equipamentos.
Até 2014, o governo despejou R$ 362 bilhões no programa, oficialmente chamado de PSI (Programa de Sustentação de Investimentos). Para variar, a conta não fechou e a sociedade brasileira terá que bancar um débito de R$ 214 bilhões.
A campeã individual de crédito foi a Petrobras, maior empresa do país, que pegou quase R$ 4 bilhões.
Imagem: Internet

testeO Ministério da Educação (MEC) divulga hoje (1º) na internet, o resultado do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os estudantes classificados com base no número de vagas do curso, serão pré–selecionados em chamada única. Os demais, não pré–selecionados, serão automaticamente incluídos em lista de espera, também nesta segunda-feira.
O estudante pode consultar o resultado dos candidatos pré-selecionados na chamada regular e a lista de espera no site do Fies. O resultado também estará disponível na instituição em que o candidato fez a inscrição. Os pré-selecionados terão de amanhã (2) a sábado (6) para concluir a inscrição no Sistema Informatizado do Fies (SisFies).
A pré-seleção dos estudantes assegura apenas a expectativa de direito às vagas. A contratação do financiamento dependerá da conclusão da inscrição no SisFies e do cumprimento das demais regras e procedimentos do programa. Cabe aos estudantes consultar os resultados e o cumprir os prazos estabelecidos.
Segundo o último balanço do MEC, no último dia de inscrição (29), até as 12h, mais de 476 mil haviam se inscrito no processo seletivo.
Lista de espera
As vagas não ocupadas pelos pré-selecionados serão liberadas aos participantes da lista de espera. Os estudantes devem acompanhar a eventual pré-seleção na página do Fies. Esses candidatos devem, entre 7 e 18 de março, acessar a página do programa e informar se estão matriculados na instituição, no curso e turno em que se inscreveram. Após esse período, o estudante que não informar a situação de matrícula terá sua inscrição cancelada no processo seletivo do Fies referente ao primeiro semestre de 2016.
O Fies oferece financiamento de cursos em instituições privadas de ensino a uma taxa efetiva de juros de 6,5% ao ano. O percentual de financiamento é definido de acordo com o comprometimento da renda familiar mensal bruta per capita do estudante. Atualmente, mais de 2,1 milhões de estudantes participam do programa.
Vagas
Neste primeiro semestre do ano, o Fies oferece 250.279 vagas em 1.337 instituições de Educação Superior. Puderam participar do processo seletivo aqueles que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010 e obtiveram pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de 0 na redação. O candidato precisa ter também renda familiar mensal bruta per capita de até 2,5 salários mínimos.
Com informações:Agência Brasil