(Foto: Internet)

Sob propositura do vereador Juary Miranda (SD), a Câmara Municipal de Rondonópolis realiza, logo mais às 19h30, sessão solene em homenagem ao Dia Internacional da Síndrome de Down, lembrado mundialmente hoje (21), no sentido de despertar a atenção cada vez mais da sociedade e a incentivar a inclusão dos portadores da síndrome.
Síndrome de Down
A trissomia 21, a chamada síndrome de Down, é uma condição cromossômica causada por um cromossomo extra no par 21. Crianças e jovens portadores da síndrome têm características físicas semelhantes e estão sujeitos a algumas doenças. Embora apresentem deficiências intelectuais e de aprendizado, são pessoas com personalidade única, que estabelecem boa comunicação e também são sensíveis e interessantes. Quase sempre o “grau” de acometimento dos sintomas, é inversamente proporcional ao estímulo dado a essas crianças durante a infância.
Normalmente, os humanos apresentam em suas células 46 cromossomos, que vem em 23 pares. Crianças portadoras da síndrome de Down têm 47 cromossomos, pois têm três cópias do cromossomo 21, ao invés de duas. O que esta cópia extra de cromossomo provocará no organismo, varia de acordo com a extensão dessa cópia, da genética familiar da criança, além de fatores ambientais e outras probabilidades.
A síndrome de Down pode ocorrer em todas as raças humanas e efeitos semelhantes já foram encontrados em outras espécies de mamíferos, como chimpanzés e ratos.
Causas

(Imagem: Internet)

A trissomia 21 é um acidente genético que ocorre no momento da concepção em 95% dos casos. Com o avanço da idade materna existe uma maior probabilidade de gestar um bebê com alterações cromossômicas como a Síndrome de Down, principalmente acima dos 35 anos de idade. Isso acontece, porque os folículos que darão origem aos óvulos da mulher já nascem com ela e células mais velhas têm maiores chances de terem erros durante seu processo de divisão, o que pode causar a presença de um cromossomo a mais ou a menos nos óvulos.
Com informações Minha Vida Saúde

Detalhes foram definidos em reunião, ontem
(Foto: Assessoria)

Técnicos da Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo de Rondonópolis se reúnem hoje (25), com lideranças dos bairros Parque São Jorge e Jardim Liberdade para iniciar o processo de apresentação de documentos, pelos moradores, para posterior regularização fundiária de 200 casas do conjunto habitacional.
Segundo o secretário da Pasta, Paulo José Correa, a ação é uma determinação do prefeito Zé Carlos do Pátio e deve regularizar 200 unidades habitacionais que foram construídas entre o ano de 2009 e 2012, período da primeira gestão do atual prefeito.
Documentos
Após apresentação dos documentos, serão entregues os títulos de posse definitivos dos imóveis, aos moradores que apresentarem a papelada completa.
Com as escrituras e cadastro no cartório, os beneficiários terão a garantia do bem e poderão investir nele, seja através de recursos próprios, financiamentos ou outras atividades bancárias.
“Vale lembrar a essas famílias que, com o título, a venda posterior da casa será possível, mas o benefício de receber outro imóvel do governo será impossível em qualquer lugar do país, uma vez que os beneficiários foram cadastrados no sistema único”, alertou o secretário.