Como era previsto, Bezerra e Garcia votaram a favor de Temer

Escrito por:
Bezerra e Garcia repetiram o voto a favor de Temer
(RDNews)

Como já estava bem claro e nítido, os deputados federais por Mato Grosso Carlos Bezerra (PMDB) e Fábio Garcia (PSB) que são membros da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, se juntaram a 38 colegas parlamentares e rejeitaram o relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que recomendava a autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) investigue a denúncia de corrupção passiva contra Michel Temer (PMDB).
Depois de conseguir substituir 25 dos 66 integrantes da CCJ até quase à última hora, à base de promessas sabe-se lá quais são e, o mais grave, com o dinheiro público, Michel Temer obteve 40 votos favoráveis, contra 25 e uma abstenção.
O parecer de Sergio Sveiter pedia a admissibilidade da denúncia contra Temer pelo crime de corrupção passiva, para que seja julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
Dos 18 partidos que têm representação na CCJ, nove encaminharam voto favorável à denúncia: PT, PODEMOS, PSB, PDT, PCdoB, PPS, PHS, PSOL e Rede. A liderança da minoria também orientou a bancada em favor da denúncia.
Já, sete partidos foram contrários à autorização de prosseguimento da denúncia: PMDB, PP, PR, PSD, PTB, SD, e PSC, acompanhados da orientação das lideranças da maioria e do governo. O PSDB e o PV liberaram a bancada para que os deputados votassem independentemente das orientações das bancadas.
Resta a esperança que, independente da decisão da CCJ, o parecer que for aprovado pelo colegiado deve ser ainda analisado pelo plenário da Câmara. Uma vez no plenário, a denúncia precisa ter o apoio de pelo menos 342 votos dos 513 deputados com mandato  para ser rejeitada.
Fabio Garcia votando contra a denúncia, contrariou mais uma vez, a orientação de sua sigla, o PSB, que havia orientado a bancada a se posicionar a favor. O parlamentar mato-grossense já havia sido destituído da presidência do partido em Mato Grosso, por ter votado a favor da Reforma Trabalhista de Temer.
Carlos Bezerra – que é amigo pessoal e membro do grupo de apoio a Michel Temer – por sua vez, votou contra o prosseguimento da denúncia, assim como já havia feito, a exemplo de Garcia, em relação à reforma trabalhista.
Agora, outro relator – o deputado federal Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) – irá apresentar parecer pela não autorização ao Supremo Tribunal Federal (STF), para investigar Temer. Esse parecer é o que será votado, em definitivo, pelo plenário da Câmara dos Deputados.
E é justamente lá, no plenário – onde, ao que tudo indica, Temer não terá maioria -, com votação aberta, que o golpista poderá “cair do cavalo”.
Quanto aos 40 membros que votaram a seu favor,  esses deverão ser lembrados pelos eleitores, nas eleições de 2018.
Como Carlos Bezerra e Fábio Garcia!
Da Redação com Brasil 247/RDNews

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *