De fora

Número de assinaturas ainda é deficitário
Assinaturas ainda não atingiram o número necessário

O pretenso partido político “Aliança pelo Brasil”, que espera agregar num “balaio” só a militância bolsonarista, deverá ficar de fora das eleições municipais deste ano.
É que a sigla não conseguiu ainda a homologação do registro pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por não ter alcançado o número necessário de assinaturas exigidas para tanto, que beira a casa de 500 mil endossos.
Mesmo usando de meios “imorais” – como o de montar “comitês de filiação” nas portas de cartórios eleitorais pelo Brasil afora, o partido ainda depende de análise por parte de Jair Bolsonaro, que dá o “talokei” ou não, para que o interessado venha a fazer parte da sigla.
Registro
Segundo a legislação eleitoral, só é admitido o registro do estatuto de partido político que tenha caráter nacional, considerando-se como tal aquele que comprove, no período de dois anos, o apoiamento de eleitores não filiados a partido político, correspondente a, pelo menos, 0,5% (cinco décimos por cento) dos votos dados na última eleição geral para a Câmara dos Deputados, não computados os votos em branco e os nulos, distribuídos por um terço, ou mais, dos Estados, com um mínimo de 0,1% (um décimo por cento) do eleitorado que haja votado em cada um deles.
Pensaram que seria fácil como “soltar pum dormindo” e que as filiações seriam de “baloque” (termo regional do Rio Grande do Sul, que significa “aos montes”).
Vai ver, o “gado” começou a empacar!