Denúncia contra Temer: Bezerra é contra e Fábio Garcia está indeciso

Escrito por:
Bezerra é contra; Garcia, está indefinido
(RDNews)

Segundo placar de hoje do site Veja.com, os dois deputados federais da bancada mato-grossense, Carlos Bezerra (PMDB) e Fábio Garcia (PSB), que fazem parte da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal juntamente com mais 64 parlamentares, manifestaram seu posicionamento, quanto a aceitar ou não a denúncia de corrupção passiva contra Michel Temer (PMDB), apresentada pelo procurador Geral da República, Rodrigo Janot.
Posicionamentos
Carlos Bezerra – amigo pessoal de Michel Temer – têm votado favoravelmente aos projetos do Governo Federal e mais uma vez se posiciona junto a Temer, revelando que votará contra a denúncia. Fábio Garcia, que votou no final de abril a favor da Reforma Trabalhista proposta por Temer e, por isso, foi afastado da presidência regional do PSB pela nacional do partido – cuja orientação era votar contra a reforma – , adiantou à Veja.com que está indeciso.
Dos 66 membros da CCJ, 19 parlamentares já se manifestaram favoráveis à aceitação da denúncia; 5, contra e 42 permanecem indefinidos.
Defesa
Michel Temer já apresentou sua defesa em um documento com onze capítulos, que pretende desmontar os argumentos de corrupção passiva apresentados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. E na sequência, o relator do processo, deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), terá o prazo de cinco sessões para elaborar um parecer sobre a denúncia.
Acreditando que conseguirá os votos necessários para a rejeição da denúncia da PGR, por contar com uma maioria de deputados da base aliada na CCJ, o percentual de indecisos mostrado pela Veja, entretanto, pode servir de alerta amarelo a Temer, de que nem tudo possa vir a ser como ele espera que seja.
Independentemente do resultado na CCJ, haverá uma nova votação em plenário, onde os serão necessários 342 votos para aprovar a denúncia.
Resultados
Caso seja aprovada pelo plenário da Câmara dos Deputados, a acusação segue para o Supremo Tribunal Federal (STF) que, se decidir recebê-la, transformará Michel Temer em réu e o afastará por até 180 dias, prazo que a Corte terá para julgá-lo. Durante esse período, o cargo é assumido interinamente por Rodrigo Maia (DEM).
Se condenado, o peemedebista sai definitivamente do cargo. Absolvido, reassume.
Da Redação com Veja.com

Continue Lendo


um comentário

  1. Esse deputado, como tantos outros, perderam o senso de responsabilidade. Não apresentam condições de representar a sociedade brasileira, por estarem completamente distantes ou divorciados dos anseios dessa mesma sociedade.

Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *