Depois, reclamam das multas!

Escrito por:
Na vaga de idoso, sem ser importunado pelos Amarelinhos

As recentes blitze que ocorreram em Rondonópolis, levantaram o “maior auê” por parte daqueles que insistem em conduzir veículos e motos sem estarem habilitados para tanto, bem como com a documentação dos mesmos estar em atraso – que alguns casos, passam de cinco anos.
Paralelamente, a falta de educação no trânsito é uma constante pelas ruas da cidade, acontecendo coisas que deixam qualquer um, de boca aberta.
Soma-se a isso, a falta de respeito para com os espaços destinados a pessoas especiais (idosos e cadeirantes), que volta e meia são ocupados por condutores que não se enquadram em nenhum desses casos, na maior cara-de-pau.

Sem credencial à vista, em cima do painel

Ontem à tarde, por exemplo, o espaço destinado a idosos, em frente à Prefeitura de Rondonópolis, ficou ocupado por um veículo (como mostram as imagens colhidas pelo Blog Estela Boranga comenta) sem a credencial expedida pela Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Setrat), por mais de duas horas, sem ser multado pelo Amarelinhos e guinchado, como determina a legislação.
Estamos de olho!

Continue Lendo


um comentário

  1. Multa é coisa séria! Uma vez resolvi “encurtar o percurso” e entrei numa rua contra-mão. A rua estava deserta e eu só ia percorrer uma quadra. Após avançar uns 20 metros ouvi o apito do policial. Parei. O agente, educadamente, pediu os docs. do veículo e os meus pessoais. Analisou, checou a placa e perguntou: “Cidadão, o senhor não viu a placa de sentido proibido”? Então, resignado, respondi: “A placa eu vi. O que não vi foi a autoridade aí atrás dessa árvore”. O guarda lavrou a multa e mandou que eu desse ré no veículo.

Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *