Equipamentos do Rotativo Rondon não funcionam e usuário “paga o pato”

Escrito por:
Equipamentos não funcionam corretamente
(Arquivo pessoal)

Já virou rotina os equipamentos da empresa Rotativo Rondon – que explora os serviços de estacionamento pago, no centro da cidade – estarem fora do ar, causando problemas e despesas aos usuários, que além de mal atendidos por alguns “verdinhos”, ainda são multados por falha do sistema da empresa.
O blog mesmo já enfrentou tal situação, que apesar de ter crédito no cartão, ao tentar acionar o serviço pelo celular, o mesmo estava fora do ar.
Quantos aos equipamentos (tipo parquímetros), o mesmo problema também se registra, demandando em incômodos aos usuários, que não tem seus direitos respeitados.
Foi o que aconteceu com o usuário Cássio Souza Silva no dia 10 deste mês, conforme relato em sua página do Facebook e também enviado ao blog.
Segundo ele, na manhã daquele dia, num determinado trecho da rua Otávio Pitaluga, o sistema estava fora do ar e ele não podia usar o crédito que possuía, que era de R$ 23,00.
Ao falar com um dos “verdinhos”, disse que não era justo ter crédito e ter que comprar tempo para estacionar, recebendo como resposta de que poderia ficar na vaga, mas que não demorasse para sair.

Para emitir multas, os aparelhos funcionam
(Arquivo pessoal)

Ao retornar 12 minutos após, ao local onde havia estacionado, Cássio foi surpreendido com uma notificação de multa afixada no limpador do para-brisa de seu veículo, no valor de R$ 5,20. Ao reclamar para outra “verdinha” que estava nas proximidades, a mesma lhe falou que teria que pagar a multa, pois ele já havia sido notificado.
À tarde do mesmo dia, o usuário precisou novamente de fazer uso do Rotativo Rondon, mas o equipamento em outro local – na rua 13 de Maio, entre as avenidas Cuiabá e Amazonas- também apresentava problemas e estava fora do ar.
Ao reclamar a outra “verdinha”, de que tinha crédito mas que não podia usá-lo, a mesma lhe respondeu que procurasse outro equipamento. “Aí, eu falei a ela que não tinha a obrigação de sair procurando equipamento, mesmo porque eu gastaria 5 minutos no local. Ela simplesmente virou as costas e deixou o local”, relata ele, destacando que ao voltar para seu veículo, se deparou com nova multa de R$ 5,20.
“O mais surpreendente”, diz ele, “é que o sistema estava fora do ar tanto para o cartão quanto para nos equipamentos, mas os aparelhos multadores e de destacar comprovante para estacionar, pagos à vista – utilizados pelos “verdinhos” – funcionavam perfeitamente”.
Indignado, Cássio reclama ao prefeito e aos vereadores, para que tomem providências junto à empresa concessionária dos serviços, que não cumpre com o contratado, mas arrecada grandes quantias em dinheiro, semanalmente.
O usuário, acertadamente, procurou o Procon para registrar reclamação e ser ressarcido do prejuízo.
Está mais do que na hora, da Prefeitura fiscalizar as atividades da empresa com maior rigor e exigir que ela cumpra seus deveres, a acionando para que não use de expediente desse tipo, que visam lesar o usuário!

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *