Fim da greve: professores retornam às aulas na 2ª

Escrito por:
Categoria retorna às atividades
Categoria retorna às atividades

Depois de 68 dias de paralisação, professores da rede estadual de Ensino decidiram suspender a greve da categoria, em assembleia geral realizada na tarde ontem, em Cuiabá, permanecendo, entretanto, em estado de greve, podendo voltar à paralisação, caso o Estado não cumpra a proposta apresentada.
Diante disso, as aulas serão retomadas já na próxima segunda-feira (08).
Nova proposta
Pela nova proposta, o Governo garante o pagamento da recomposição restante para cumprir o piso de 2016 da categoria, no valor de R$ 2.331,74 até dezembro de 2017.
A nova proposta havia sido foi apresentada pelo secretário de Estado de Educação (Seduc), Marco Marrafon, durante reunião no Tribunal de Justiça no dia 2 e inclui também a realização do concurso público, cujo processo será aberto ainda este ano, com nomeações previstas para 2017.
Outro ponto da proposta do Governo do Estado ao grevistas, refere-se a discutir e ter aprovado pela sociedade, o projeto de parceria pública privada (PPPs) que deverá estar concluindo em setembro, para somente depois disso implantá-lo.
Pelo calendário da Seduc, a reposição das aulas será feita aos sábados, com término em 30 de dezembro.
Unemat
Também os docentes da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) anunciaram o retorno às aulas na próxima segunda-feira, em todos os campus da Instituição.
A decisão, que foi anunciada pela Associação dos Docentes da Universidade do Estado de Mato Grosso (Adunemat), em reunião realizada na manhã de ontem entre representantes da associação, da Reitoria da Unemat, Sindicato dos Trabalhadores da Educação Superior do Estado de Mato Grosso (Sintesmat) e União Estadual dos Estudantes (UEE), suspende a greve da categoria iniciada no dia 29 de maio.
Um novo calendário acadêmico será elaborado, pela Pró-reitoria de Ensino de Graduação (Proeg), a ser discutido pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Conepe).

Foto: BastidoresdoPoder (arquivo)

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *