Gefron apreendeu seis veículos no fim de semana

Interceptaçao em estrada vicinal (Divulgação/Gefron)
Interceptaçao foi feita em estrada vicinal (Divulgação/Gefron)

De sexta-feira (8) até o domingo (10), as equipes do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), fizeram a apreensão de seis veículos (três carros de passeio e três motocicletas) e a prisão de sete pessoas suspeitas de atos ilícitos na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia.
Interceptação
A primeira ocorrência aconteceu na manhã de sexta-feira, na região da Vila Picada, no município de Porto Esperidião, quando os policiais abordaram uma caminhonete Hilux.
Após checagem dos documentos, foi constatado que o veículo havia sido roubado em Várzea Grande, no dia sete deste mês. O condutor que já tinha passagem por lesão corporal foi encaminhado para a Delegacia Especial de Fronteira (Defron) e o veículo e uma motocicleta, que estava na carroceria, foram apreendidos.
À noite, uma terceira pessoa foi presa nas proximidades da base do Gefron, o Posto do Limão, que fica na BR-070, que conduzia um veículo com visível estado de embriaguez ao volante.
Perguntado pelos policiais para onde estaria indo, o suspeito informou que estava levando a motocicleta para um morador do município e que receberia R$ 2 mil pelo serviço e, após 15 dias, seria registrado um Boletim de Ocorrência (BO) de roubo e/ou furto, para solicitar ressarcimento da seguradora do veículo.
Veículos locados
No tarde de domingo (10), as equipes do Gefron e da Força Tática abordaram um veículo, pertencente a uma locadora de veículos, cuja checagem via sistema, constatou que o carro tinha queixa de furto na cidade de Caieiras (SP). Ao ser questionado, o condutor afirmou que receberia a quantia de R$ 1,5 mil do contratante. O veículo foi apreendido e o homem encaminhado para a Defron.
Mais tarde, um outro veículo locado foi recuperado, em Cáceres.
Ao ser solicitada a documentação do veículo, com placa de Brasília (DF), o condutor informou que havia emprestado o carro para ir até a Bolívia, mas durante a checagem se constatou que o bem era de uma locadora.
Os policiais entraram em contato com a empresa, que confirmou a locação no dia sete, mas afirmou que o mesmo não tinha autorização para deixar terceiros utilizarem o veículo.
Aos policiais, o suspeito confirmou que o locatário ofereceu R$ 1 mil para que levasse o carro para a Bolívia, tendo sido encaminhado, juntamente com o veículo, para a Delegacia daquele município fronteiriço.