Grávida é sequestrada e bandidos levam bebê, após o parto

Escrito por:
(Foto:MundoBoaForma)

Na noite de ontem, uma mulher de 36 anos, moradora de Rondonópolis, registrou uma queixa na 2ª Delegacia de Polícia do Carumbé, em Cuiabá, relatando que nos últimos dias foi alvo de sequestro e mantida em cárcere privado. Segundo ela, os criminosos ainda fizeram seu parto e roubaram o seu bebê.
O caso
A vítima C.A.A. foi encontrada pela Polícia Militar já com o seu marido e uma irmã no terminal rodoviário do Coxipó por volta das 20h30. O trio contou que a moça até então gestante de 9 meses estava desaparecida desde o dia 7 de fevereiro, quando o seu marido a deixou em frente a Santa Casa de Rondonópolis, onde ela tinha um horário marcado para fazer o seu parto.
O seu marido também contou que precisava estar trabalhando no horário e não pode acompanhar a mulher, combinando que a encontraria mais tarde na maternidade. Já a moça relatou aos PMs que em frente a unidade médica foi abordada por uma mulher loira, que se identificou como “Laura”. Pouco depois, um casal mostrou interesse na sua gestação. As três pessoas que a abordaram foram gentis e a trataram bem.
Na denúncia, a mulher também conta que um dos três ofereceu a ela um copo de água. Em questão de minutos, ela ficou sonolenta e foi colocada em um veículo Fiat Doblô.
Ainda conforme a moça, ela se lembra de ter sido levada para uma casa, onde tinha aparatos médicos e que o parto da criança foi feito no local. Ela também foi obrigada a ligar para o marido dizendo ter tido complicações durante o parto na Santa Casa e que estava sendo transferida para Cuiabá.
Sem saber onde estava e para onde era levada, a vítima disse ter ficado em poder dos criminosos o resto da semana e foi liberada no final da tarde de ontem, no estacionamento de um supermercado atacadista ao lado da rodoviária do Coxipó. Finalmente, ela conseguiu contato com o marido e contou o que aconteceu.
Imediatamente, ele se deslocou para a capital na companhia da cunhada.
Investigação
Os policiais que atenderam a ocorrência levaram a mulher até uma Unidade de Pronto Atendimento, porém o médico plantonista orientou que ela fosse encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML). O caso foi registrado na Central de Flagrantes e entregue a Polícia Civil, que irá investigar por meio da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher.
A Polícia investiga se uma rede de tráfico de menores, sequestrou a mãe e raptou a criança.
Com Folhamax

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *