Investimento em Saúde ultrapassou o que a lei determina

Escrito por:
Saúde fechou 2018 com investimentos acima do exigido

Uma das prioridades da atual gestão municipal, a área de Saúde recebeu investimentos no ano passado, que chegaram a R$ 137.605.899,77, correspondendo a 29,20 % do orçamento total do município. O valor investido no setor é praticamente o dobro do que a legislação determina. O mínimo constitucional exigido, é de 15%.
A priorização dos investimentos para melhorar o atendimento na saúde pública do rondonopolitano fez com que o município lançasse ainda em 2017 o programa “Fila Zero”.
Quase um ano depois do seu lançamento, os números apresentados no final do ano passado foram significativos. Em abril de 2017, por exemplo, 25.298 pessoas aguardavam por algum tipo de exame em Rondonópolis. No final do ano, os dados da secretaria municipal de Saúde apontavam apenas 4.482 agendamentos. Isto representa uma redução na demanda reprimida de mais de 80%.
Além disso, exames que antes eram feitos em Cuiabá passaram a ser realizados em Rondonópolis, dando mais comodidade ao paciente da cidade, que não mais precisa enfrentar uma cansativa viagem até a capital mato-grossense. Como por exemplo, tomografia computadorizada, cintilografia e ressonância magnética, que tiveram, inclusive, uma longa fila zerada.
Outros exames que também tiveram a demanda reprimida zerada em Rondonópolis foram ultrassonografia, mamografia, endoscopia, ecocardiograma, biópsia de próstata e eletrocardiograma.
Os números do programa também mostram avanços na realização de cirurgias eletivas, que reduziu mais de 70% a demanda reprimida. Em março de 2017 estavam na fila de espera: 9.409 pessoas. No final de 2018, conforme os números da secretaria, eram 2.870.
O município, também, zerou as filas de espera por vários tipos de cirurgias: ginecológica, hérnia, vesícula, cabeça e pescoço, varizes, próstata, hemorroidas e otorrinolaringologia.
Ao final do último ano, Rondonópolis apresentou avanço na realização de procedimentos de angioplastia e cateterismo, além das cirurgias cardíacas “de peito aberto” pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que antes não eram realizadas na cidade, somente em Cuiabá. Em 2018, segundo os dados da secretaria municipal de saúde, ocorreram no município 210 cirurgias deste tipo.
A Prefeitura também investiu na ampliação da rede de atenção básica de saúde do município, na aquisição de novas ambulâncias, equipamentos e uma nova Van para transportar com mais comodidade os pacientes da nefrologia. Também foram adquiridos novos veículos, para o melhor atendimento de toda a rede.


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *