Júlio e Bezerra vão encarar as eleições deste ano

Escrito por:
Bezerra e Júlio continuam na política
(Folhamax)

Dois dos mais conhecidos políticos de Mato Grosso, irão disputar as eleições deste ano, para cargos diferentes.
Um deles, o deputado federal Carlos Gomes Bezerra (MDB) – de 76 anos- pretende disputar novamente uma vaga à Câmara Federal, enquanto Júlio José de Campos (DEM) – 71 anos – visa ocupar assento na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.
Ambos já foram prefeitos (Júlio em Várzea Grande e Bezerra em Rondonópolis), governadores do Estado, deputados e senadores federais.
Carlos Bezerra, caso logre êxito nas urnas, irá completar mais de 40 anos de mandatos eletivos intercalados. Presidente estadual do MDB, ele terá pela frente, mesmo contando com o apoio de seus correligionários para sua reeleição, a resistência de seus atos no ano passado, quando votou a favor de todos os projetos de Michel Temer (MDB), principalmente a Reforma Trabalhista.
Já Júlio Campos, terá de reorganizar suas bases, uma vez que está afastado da política desde 2014, quando em julho daquele ano teve seu mandato de deputado federal cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), acusado de compra de votos e captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral (Caixa 2), nas eleições de 2010.
Na ocasião, Júlio afirmou que aquele era seu último mandato e que encerraria sua carreira política.
A decisão inicial do TRE-MT previa também a  inelegibilidade de Júlio Campos por oito anos, foi derrubada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por meio de decisão monocrática da ministra Maria Thereza, que reformou a decisão do TRE por verificar que restou comprovado que tais alegações não mereciam continuar, tendo em vista a inexistência de qualquer prova neste sentido e que justificassem uma cassação e inelegibilidade pelo período de oito anos.

Continue Lendo


um comentário

  1. Lamentável e inacreditável! Dois “dinossauros” que deveriam se aposentar da vida política e deixar os eleitores em paz.

Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *