Mãe prostituía filha com idosos ricos

Escrito por:
(Foto ilustrativa/Internet)
(Foto ilustrativa/Internet)

Três pessoas acusadas de prostituição infantil tiveram mandados de prisão cumpridos pela Polícia Judiciária Civil (PJC) ontem, após terem o esquema descoberto em investigações da Delegacia de Campo Novo do Parecis (396 kms de Cuiabá).
O esquema, envolvendo a mãe de uma menor de 14 anos e dois idosos de alto poder aquisitivo, acontecia há mais de 2 anos. A mãe da vítima, de 36 anos, teve a ordem de prisão decretada pelo crime submeter criança ou adolescente a prostituição com objetivo de lucro, agravado pela relação de parentesco.
Os acusados, um cartorário e empresário de São José do Rio Claro (315 kms de Cuiabá) de 84 anos, e um fazendeiro de Campo Novo do Parecis, de 74 anos, responderão por estupro de vulnerável.
As prisões dos suspeitos foram realizadas, na quarta-feira (24), nas cidades em que residem, em atuação dos policiais civis dos dois municípios.
As investigações da Delegacia de Campo Novo do Parecis começaram no início deste mês, após a vítima, de 14 anos, ter procurado o Conselho Tutelar, e denunciado a mãe. Segundo a adolescente, a mãe passou a ameaçá-la quando ela disse que não queria mais participar do esquema, no qual ela era obrigada a manter relações com os idosos.
De acordo o delegado, Adil Pinheiro de Paula, a mãe prostituía a adolescente com os dois homens, em troca de dinheiro, há mais de 2 anos. Durante as investigações, foi constatado que os encontros com o empresário de São José do Rio Claro aconteciam em um hotel Cuiabá, onde a mãe, o suspeito e a vítima se passavam por marido, mulher e enteada.
Entre os presentes recebidos em troca dos encontros, o empresário pagou pela festa de aniversário de menor e deu uma motocicleta para a mãe da menina. Os encontros com o fazendeiro de Campo Novo dos Parecis aconteciam semanalmente em um motel da cidade e também eram realizados em troca de dinheiro.
“Além de receber dinheiro a cada encontro, a mãe e filha eram sustentadas com um alto padrão de vida, ganhando quantias mensais, e outros benefícios, como compras em shoppings e cartões de crédito dos suspeitos”, disse o delegado.
Com base nas investigações da Polícia Civil que descobriram o esquema, as ordens judiciais foram decretadas pela Justiça, após representação do delegado.
As ordens de prisão foram cumpridas ontem, contra a mãe da vítima e o fazendeiro, que foram detidos em Campo Novo dos Parecis. O terceiro mandado, contra o cartorário, foi cumprido no município de São José do Rio Claro, com apoio da equipe de Polícia Civil daquele município.
Com Gazeta Digital/PJC

Continue Lendo


um comentário

Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *