Mais uma da gestão Percival Santos Muniz

Escrito por:
Percival volta a ser citado em mais um imbroglio

Foi instaurado na segunda-feira (07) pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE-MT), segundo matéria do site cuiabano Folhamax, um inquérito civil para investigar suposto superfaturamento em 2016, num contrato de UTI terrestre entre a Prefeitura de Rondonópolis e a empresa Qualycare Serviços de Saúde e Atendimento Domiciliar, durante a gestão do ex-prefeito Percival Santos Muniz (PDT).
A empresa apontada pelo MPE, é alvo da operação “Sangria”, sob a suspeita de participar de um esquema de superfaturamento que pode ter causado um prejuízo de R$ 14,6 milhões, aos cofres públicos da capital, Cuiabá, e da Operação “Sangria 2”, contra os cofres estaduais, deflagradas pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz- MT).
A abertura do inquérito foi determinada pelo promotor de Justiça Wagner Antônio Camilo, titular da 2ª Promotoria de Justiça Cível de Rondonópolis.
O promotor de Justiça ainda determinou, continua o site cuiabano, que a Controladoria-Geral do Estado (CGE) envie em até dez dias, uma cópia integral do relatório de auditoria realizado no âmbito da 2ª fase da operação “Sangria” e que apontou o suposto superfaturamento, bem como que a prefeitura de Rondonópolis também envie uma cópia do contrato com a Qualycare, no mesmo prazo de até dez dias.
Da Redação com Folhamax


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *