Morte de casal: assassinos usaram de requintes extremos de crueldade  

Escrito por:
Os dois adultos e um dos adolescentes envolvido
(Divulgação/PM)

O desenlace do hediondo crime praticado contra um casal em Camaçari (BA), vem chocando a opinião pública baiana e de todo o país, pelos requintes de crueldade utilizados pelos assassinos Daniel Neves Santos Filho e Carlos Alberto Neres Júnior e dos três menores com idade de 13, 14 e 16 anos.
A delegada Maria Tereza dos Santos, titular da 4ª Delegacia de Homicídios (DH) de Camaçari, que cuida do caso, afirmou que tudo leva a crer que também houve canibalismo nas mortes de Juvenal Amaral Neto (57) e Kelly Cristina Silva dos Santos (44), ocorridas no dia 5 deste mês, naquela cidade baiana, localizada na região metropolitana de Salvador.
Crueldade extrema
De acordo com a delegada, o perito legal e o médico legista, que participaram do inquérito, descobriram que Kelly teve o braço amputado quando ainda estava viva. “Ela foi queimada fora da cova e órgãos da região pélvica não foram achados. Eles também retiraram a mandíbula. A gente chegou a pensar que foi ‘magia negra’, mas tudo leva a crer que eles praticaram canibalismo”, reforçou a delegada.
Juvenal também sofreu tortura, disse a policial, revelando que os indiciados retiraram parte do tecido das costas, quando ele ainda estava vivo. “Ele sofreu menos que a mulher, mas também sofreu”, informou. Maria Tereza define o caso como uma “barbárie”.
Após invadir a casa e manter o casal em cárcere privado, os cinco envolvidos estupraram a mulher e, na sequência, torturaram os dois com golpes de faca. Ainda segundo Maria Tereza, no sábado (6), Carlos enforcou as vítimas.

Os corpos foram enterrados no quintal da casa
(Divulgação/PM)

Na madrugada de domingo (7), o grupo enterrou os corpos do casal, no fundo da residência.
Frieza
Durante os interrogatórios, a delegada disse que a dupla de adultos presa foi fria. Segundo ela, os envolvidos não demonstraram arrependimento em nenhum momento. “Eles são cruéis e todos assumem que estupraram a mulher”, relatou.
Os acusados disseram ter usado cocaína, enquanto praticavam os crimes.
Os corpos foram descobertos na tarde do dia 9, após vizinhos acharem estranha a movimentação na casa e denunciar o caso à polícia.
O caso
O grupo invadiu a residência do casal, no bairro Santo Antônio, no dia 5, e teria passado a extorquir as vítimas por conta de uma quantia de R$ 70 mil, que Juvenal teria recebido como indenização.
Daniel Filho e Carlos Alberto Júnior  foram capturados no dia 09 e enquadrados nos crimes de estupro, homicídio, cárcere privado, ocultação de cadáver e porte ilegal de arma, além de prática de canibalismo. No mesmo dia, foram transferidos para o Centro de Observação Penal (COP) da Mata Escura, da capital, Salvador.
Para os três menores, a delegada pediu internação por três anos.
Da Redação com Correio da Bahia

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *