Nininho é alvo de operação da PF

Um dos alvos é o deputado Nininho (Rogério Florentino Pereira)
Um dos alvos é o deputado Nininho
(Rogério Florentino Pereira)

Desde o início da manhã de hoje (09), cerca de 130 policiais federais estão cumprindo mandados judiciais de busca e apreensão da Justiça Federal de Rondonópolis, pertinentes à Operação Chapéu de Palha, que investiga fraudes em licitações e pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos, tendo como alvos principais os deputados estaduais Ondanir Bortolini (Nininho) do PSD, Romoaldo Júnior (MDB) e o ex-deputado Mauro Savi (DEM).
As fraudes teriam sido cometidas, supostamente, em contratos de construção de pontes em Mato Grosso, de 2010 a 2013, pelas empresas do setor Rocha e Pirâmide.
Para tanto, agentes permanecem nos gabinetes dos dois parlamentares, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), enquanto que paralelamente outros estão sendo cumpridos, sob segredo de Justiça,  Rondonópolis, Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Alto Taquari, Itiquira (onde o prefeito é seu irmão, Humberto – o Betão), Juscimeira, Jaciara, São Pedro da Cipa, Dom Aquino, Alta Floresta e ainda em Votuporanga, no Estado de São Paulo.
Nininho cumpre seu terceiro mandato como deputado estadual tendo sido secretário da ALMT na legislatura passada, depois de ter sido prefeito de Itiquira por três mandatos. Foi um dos artífices da reeleição do prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), no pleito deste ano.
Operação
Mesmo sem confirmação, o nome da operação, provavelmente, se deve ao fato de que o deputado tem por costume fazer uso de um chapéu de palha; hábito este, cutivado há muitos anos.