Os ralos continuam abertos

Escrito por:
Ralo nunca fecha
(Ilustrativa)

Os gastos públicos, responsáveis diretos pela sangria nas finanças do governo, continuam a ser praticados por quem deveria, justamente, contê-los.
Um dos ralos das finanças do Erário brasileiro, são os pagamentos diversos feitos a deputados federais e senadores, afora seus salários que já pesam muito nas contas públicas.
Segundo o G1, o Senado gastará R$ 3,4 milhões para pagar a mudança dos eleitos e dos que não se reelegeram, através de 108 pagamentos de R$ 33,7 mil cada – correspondente a um mês de salário de cada parlamentar.
De acordo com a assessoria do Senado, os recursos serão desembolsados para auxiliar na mudança dos parlamentares: de Brasília para os estados – nos casos dos senadores em final de mandato – e dos estados para o Distrito Federal – nos casos dos eleitos. Apesar disso, os parlamentares podem, se quiserem, utilizar o dinheiro para outra finalidade.
Os que se reelegeram recebem duas vezes – em razão do término de um mandato e do início de outro. Como já têm residência em Brasília e não necessitam de mudança, também podem usar a verba para outros fins.
Deputados
A exemplo dos senadores, deputados federais também têm direito à verba extra de R$ 33,7 mil. A Câmara, no entanto, estuda mudar as regras para a concessão do benefício.
Segundo a assessoria de imprensa da Casa, o objetivo é tornar os critérios “mais claros e restritivos”.
A Câmara não informa que tipo de mudança está em estudo nem para quando é pensada. Ressaltou apenas que “eventuais alterações” nos critérios estão em avaliação na esfera administrativa.
Apesar de os senadores poderem reembolsar a quantia ao Senado, fica difícil disso vir a acontecer, já que se acostumaram a mais essa pouca vergonha, que eles mesmos criaram em seu benefício!
Da Redação com G1 Brasília


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *