PPS: Percival é destituído e Taques toma “posse” do partido em MT

Escrito por:
Taques deu o “golpe” em Percival
(Folhamax)

Por determinação direta do presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire (PPS-PE), o ex-prefeito de Rondonópolis Percival Santos Muniz foi destituído da presidência estadual da sigla, abrindo caminho para que Pedro Taques deixe o ninho dos tucanos e se filie ao partido, juntamente com seu grupo de apoiadores.
A destituição aconteceu na quarta-feira da semana passada (31) e a princípio envolve vários motivos, dentre eles a condução irregular do partido a nível de Mato Grosso (prestação de contas e outros mais), além de Percival ter adiado continuamente e a seu bel prazer, nova eleição do diretório estadual.
Entretanto, a destituição – que coloca Percival ainda mais no ostracismo político – passa também pelo fato do governador Pedro Taques ter “mexido os pauzinhos” para o “consummatum est” de Roberto Freire, o que lhe garante o ingresso no PPS, livre, leve e solto.
Taques não está tendo mais o espaço e a influência que tinha no PSDB, principalmente em razão do crescimento do “mando de campo” do deputado federal Nilson Leitão, que vai disputar vaga para senador, nas eleições deste ano, conforme é do agrado do PSDB nacional.
A escolha de Nilson Leitão para disputar o Senado dificulta as composições em torno do projeto de reeleição de Pedro Taques a governador, por faltar espaço para os aliados, dentre eles o do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM) e do vice-governador Carlos Fávaro, que comanda o PSD em Mato Grosso.
Percival por sua vez, mesmo com o “rabo entre as pernas”, já está em conversações com o MDB – no qual iniciou sua carreira política – de Carlos Bezerra e também com o PDT de Zeca Viana, para se filiar e viabilizar uma candidatura a deputado estadual.
Por conveniência, o caminho mais viável será seu reingresso no PDT, ao qual já esteve filiado em anos anteriores e no qual poderá ter maior poder de decisão, já que ele sabe de cor que quem dita as ordens no MDB de Mato Grosso é Bezerra.
De Taques resta saber se, uma vez no PPS, apoiará Luciano Huck para Presidente, assim como já externou seu secretário de Educação, Marco Marrafon, que tentará uma vaga à Câmara Federal, também pelo PPS.

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *