Riva reafirma possuir documentos sobre as acusações de “mensalinho” (vídeo)

Escrito por:
Riva confirma “mensalinho”
(Foto: Folhamax)

Ao sair do Fórum de Cuiabá na sexta-feira (31), onde prestou depoimento à juíza Selma Arruda, sobre a “Operação Imperador”, que apura um desvio da ordem de R$ 62 milhões na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o ex-deputado José Geral Riva (sem partido), reiterou (assista ao vídeo, abaixo) que possui os documentos que comprovam a “mesada” a ex e atuais deputados, envolvidos no caso do “mensalinho” durante os governos de Dante de Oliveira (PSDB) e Blairo Maggi (PP). (Leia matéria, aqui)
Revelação bombástica
No depoimento, Riva revelou que pagou “mensalinho” a 33 deputados ou ex-deputados durante as gestões dos ex-governadores Dante de Oliveira (PSDB) falecido em 2006, Blairo Maggi (PR) e Silval Barbosa (PMDB).
Questionado na saída do fórum de Cuiabá, ele disse ter como provar as declarações prestadas à juíza Selma Rosane Santos Arruda. “Com certeza”, resumiu.
Envolvidos
Além dele próprio, Riva disse que também recebiam a propina, outros 33 políticos conhecidos no Estado: Silval Barbosa, Sérgio Ricardo, Mauro Savi, Dilceu Dalbosco, Campos Neto, Airton Português, Alencar Soares, Carlão Nascimento, Pedro Satélite, Renê Barbour, Zeca D’Ávila, José Carlos de Freitas, Eliene Lima, Carlos Brito, Sebastião Rezende, Zé Domingos, Wallace Guimarães, Percival Santos Muniz, Nataniel de Jesus, Humberto Bosaipo, João Malheiros, Gilmar Fabris, José Domingos, Wagner Ramos, Adalto de Freitas, Nilson Santos, Juarez Costa, Walter Rabello, Chica Nunes, Guilherme Maluf, Ademir Bruneto, Chico Galindo e Antônio Brito.
José Geraldo Riva também confirmou que houve a compra de uma vaga no TCE-MT, ocupada em 2012 pelo Conselheiro afastado Sérgio Ricardo. A negociação, segundo o ex-deputado estadual, teria ocorrido em 2009 e utilizado R$ 2,5 milhões de recursos desviados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. O Ministério Público suspeita que a vaga tenha “custado” R$ 12 milhões.
Justificativas
Citado no depoimento de José Riva à juíza Selma Arruda, o deputado estadual Sebastião Rezende (PSC), invocou princípios cristãos e disse que irá processar Riva, nas esferas cível e criminal.
O conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Sérgio Ricardo disse que os depoimentos do ex-deputado se contradizem.
Quanto a Percival dos Santos Muniz (PPS), que deixou a Prefeitura de Rondonópolis no dia 31 de dezembro de 2016, não houve manifestação de sua parte, apesar de várias tentativas do Blog Estela Boranga comenta, por telefone, terem sido feitas, mas que foram infrutíferas.
Já o ex-governador de Mato Grosso e hoje senador licenciado e atual ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi (PP),  diante da grande repercussão que o depoimento de Riva está tendo no Estado e por todo o País, emitiu nota a respeito do assunto (leia matéria, aqui), afirmando que está tranquilo e que nada fez de errado.
Com Folhamax
Veja o vídeo (Youtube):

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *