Sachetti e Medeiros fecham dobradinha

Escrito por:
Dobradinha já estaria fechada
(Fotos: Nosso Foco/Senado Federal)

O Blog Estela Boranga comenta, teve acesso a informações quentíssimas que dão conta de que está, praticamente, fechado acordo entre os atuais deputado federal Adilton Sachetti (sem partido) e o senador José Antônio Medeiros (Pode), para disputarem em dobradinha proporcional, as eleições deste ano.
Sachetti, com a desistência de seu compadre Blairo Maggi (PP) – atual ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – em concorrer à reeleição ao Senado, passa a ser o nome do grupo que está sendo formado, para pleitear a vaga de senador, devendo se filiar ao PP ou ao DEM- de Jayme e Julio Campos, para tanto.
Por sua vez, Medeiros sai a disputa para deputado federal – com campanha bancada por Sachetti -, devendo deixar o Pode e se filiar também a um dos partidos que farão frente ao grupo de Pedro Taques (PSDB), atual governador de Mato Grosso e candidatíssimo à reeleição.
Os dois, oriundos de Rondonópolis, pretendem disputar a grande fatia de votos que o município e a região possuem, apesar dos contratempos que irão enfrentar nessa etapa difícil pela qual atravessa a classe política e em razão de que pesam contra ambos, suas posturas em relação a terem votado a favor da Reforma Trabalhista, da Terceirização e de outros projetos anti-sociais de Michel Temer (MDB), que prejudicam, enormemente, os trabalhadores brasileiros.
Contratempos 
Particularmente, Sachetti também está “feio na fita” com o eleitorado mato-grossense, por ter destinado emenda parlamentar no mês passado, no valor de R$ 1 milhão ao Hospital Beneficência Portuguesa, de São Paulo (entidade privada, que é referência nacional no tratamento de câncer e que possui convênio com o Sistema Único de Saúde – SUS), no qual sua falecida esposa, Rose Sachetti, esteve internada em 2017 para tratamento de leucemia, enquanto hospitais em Mato Grosso suspendem o atendimento pelo SUS, por atraso nos repasses devidos  pelo Estado e pela União.
Já Medeiros, além das confusões e bate-boca que se meteu no Senado com senadores do PT e também com populares, logo após ter assumido a vaga de Pedro Taques em 2014 e ter virado “papagaio de pirata” de Aécio Neves e Aloysio Nunes (PSDB), ainda está envolvido no imbróglio da ata que apontou os suplentes à vaga na senatoria, quando dos acordos para as eleições de 2010; assunto este, que está tramitando na Justiça Eleitoral de Mato Grosso.
A dobradinha proporcional, deve ser anunciada ainda este mês.
Vamos aguardar!

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *