Santa Casa participa de estudo clínico da USP

Intensivista da Santa Casa participa do estudo
Intensivista da Santa Casa participa do estudo

A Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis, através da médica intensivista Daniele Monteiro de Barros Marques, está participando de um estudo clínico da Universidade de São Paulo (USP) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, que busca identificar a eficácia da heparina e tocilizumabe, em pacientes com infecção grave pela Covid-19.
O estudo, que deve durar pouco mais de um ano e teve início em outubro de 2020, está monitorando 308 participantes, com idades iguais ou maiores que 18 anos e que apresentaram resultados positivo para Covid-19 em PCR, em Swab nasofaríngeo ou secreção traqueal até 10 dias antes da inclusão e evidência radiológica da doença, por radiografia de tórax ou tomografia computadorizada de tórax.
Manifestação 
A infecção se manifesta, principalmente, no trato respiratório, embora novas evidências indiquem que essa doença tem envolvimento sistêmico envolvendo os sistemas cardiovascular, respiratório, gastrointestinal, neurológico, hematopoiético e imunológico.
Estudos recentes têm demonstrado que em sua fisiopatologia, predominam a inflamação e a trombogênese, principalmente nas formas graves da doença. Desta forma, os pesquisadores levantaram a hipótese de que o uso de heparina e tocilizumabe poderia reduzir, potencialmente, essas duas complicações, em pacientes que se encontram na fase grave da Covid-19, melhorando os desfechos e a sobrevida dos pacientes.
Queda na mortalidade
O estudo é coordenado pela médica PhD, Dra. Ludhmila Abrahão Hajjar, professora na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que monitora 22 centros participantes e um coparticipante, cujo grupo de pesquisadores com pouco mais de dois meses de estudo, já puderam identificar uma queda na mortalidade de pacientes em estágio grave da doença.