Santa Casa suspende atendimentos, por novo calote do governo Taques

Escrito por:
Atendimento nas UTI’s está suspenso

Vira e mexe, o governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), não cumpre acordos, enrola e atrasa os pagamentos dos débitos para com a Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis (para não citar as demais unidades de Saúde no Estado, igualmente credoras), atingindo com isso, em primeiro plano, os pacientes que ficam a descoberto.
Nem bem transcorridos 60 dias de mais um acordo firmado com a Secretaria de Estado de Saúde, para a regularização da complementação de remuneração da Tabela do SUS (referente ao complemento das UTI’s Adulto, Neonatal e Pediátrica, bem como da Unidade de Cuidados Intermediários e Canguru), conforme pactuado nas portarias nº 2.617/GM/MS, de 1º de novembro de 2013 e nº 184/2016/GBSES de 19 de agosto de 2016, acontece nova paralisação no atendimento.
Em agosto deste ano (leia matéria aqui), a unidade de Saúde já havia paralisado suas atividades, devido ao não cumprimento no calendário dos repasses, causando transtornos à clientela, o que se repete novamente agora.
Segundo a Santa Casa, por falta de pagamento desde julho dos plantões do Corpo Clínico da instituição, o atendimento está suspenso desde a quinta-feira da semana passada (26), por decisão tomada em assembleia da categoria no dia anterior, atingindo os atendimentos/procedimentos eletivos da maternidade, internações pediátrica, cirurgias e reduzindo as internações nas UTI’S e setores citados acima, para os casos cirúrgicos eletivos não urgentes ou emergências.
“Há de se destacar, ainda, que o atraso nos pagamentos, em regra, gera a incidência de juros e multa, que não são pagas pelo Estado quando realizam seus repasses em atraso, para a instituição, que não tem recursos suficientes para manutenção integral dos serviços ora prestados, e em razão da falta de insumos necessários à manutenção da vida de pacientes internados nas referidas unidades, sem que no prazo máximo de treze (13) dias não terá mais condições de admitir pacientes”.
Além do governador, um ofício relatando os motivos para mais essa paralisação foi encaminhado no dia 26, também à Prefeitura e à Câmara Municipal de Rondonópolis; ao Ministério Público Estadual (MPE) – Vara da Cidadania e Infância e Juventude; ao secretário Estadual de Saúde de Mato Grosso; ao diretor do Escritório Regional de Saúde de Rondonópolis; à secretária Municipal de Saúde de Rondonópolis; ao Conselho Municipal de Saúde de Rondonópolis; Central de Regulação de Rondonópolis; Conselho Regional de Medicina (CRM) de Mato Grosso e à Assembleia Legislativa de Mato Grosso, no sentido de que os repasses, atualizados, sejam efetuados, evitando a continuidade da paralisação dos atendimento citados.
Vale lembrar, que para Rondonópolis afluem pacientes de 18 municípios da região Sul de Mato Grosso, inseridos no Consórcio Regional de Saúde.
Esse, é o “Estado de Transformação”, do governador Pedro Taques!

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *