Servidores e professores da UFMT fazem paralisação na terça-feira

Escrito por:
Servidores aprovaram a paralisação
Servidores aprovaram a paralisação

Reunidos em assembleia geral realizada no início da tarde de hoje, servidores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), decidiram paralisar suas atividades na próxima terça-feira (16), visando chamar a atenção da sociedade para lutar contra os projetos de leis em tramitação no Congresso Nacional, que retiram direitos dos trabalhadores, como a PEC 241 e o PLP 257.
Estes projetos, se aprovados, representam o fim da valorização do salário mínimo, congelamento da remuneração dos servidores públicos por 20 anos, cortes nos orçamentos de pastas importantes como a educação e segurança, além de uma nova reforma na previdência que dificulta o trabalhador chegar a aposentadoria.
“Fora Temer”
Além da paralisação, também foi aprovado um indicativo de greve geral (ainda sem data), e o Fora Temer. “Os ataques que os trabalhadores estão sofrendo são os maiores da história. A retirada de direitos está acontecendo e o debate não está sendo feito como deveria, sem a cobertura da imprensa e o envolvimento da sociedade. A hora de lutar é agora. Estamos vendo um Governo que coloca a essência do arrocho nas contas públicas, o Estado mínimo, o interesse dos bancos e cobradores de juros à frente das necessidades da população”, destacou a coordenadora geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos da UFMT, Leia de Souza Oliveira.
Adufmat
O presidente da Associação dos Docentes da UFMT (Adufmat), Reginaldo Araújo, participou da assembleia. “Os professores já aprovaram a paralisação do dia 16. Teremos um ato conjunto entre técnicos, estudantes e professores. Quanto mais enfraquecermos o Governo Temer, melhor são as nossas chances de barrar todos estes ataques. Precisamos saber para onde realmente está indo o dinheiro, por isso defendemos uma auditoria da dívida pública”, pontuou Reginaldo.
Na terça-feira (16), professores, estudantes e técnicos administrativos se reunirão no auditório do Sintuf-MT às 14h30.
Às 16 horas, eles devem partir em carreata para a Praça Ipiranga onde um ato conjunto com vários outros trabalhadores e Centrais Sindicais será realizado.
Com Assessoria Sintuf-MT

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *