Silval revela o “nome do santo e o milagre”

Escrito por:
Com a delação, a amizade foi pro “brejo”

A delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), pelo jeito não vai poupar ninguém em Mato Grosso.
Vai ser de “cabo a rabo”.
O senador Welington Fagundes (PR)- virtual candidato ao Palácio Paiaguás, no ano que vem -, é um dos “premiados”.
Segundo Silval na sua delação à Procuradoria Geral da República (PGR), o senador mato-grossense, quando ainda deputado federal, teria recebido propina oriunda de obras da duplicação da Rodovia MT-251, no trecho Cuiabá/Chapada dos Guimarães, e também de um trecho da BR-364, próximo a Rondonópolis.
Disse o delator, que Welington envidou esforços políticos em Brasília, para a liberação dos recursos direcionados a essas duas obras, liberados pelo Ministério do Turismo para a Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra), de Mato Grosso.
“O montante da propina pedida por Welington, foi de R$ 1 milhão”, disse Silval Barbosa à PGR, acrescentando que o valor seria repassado pelo então deputado federal, a pessoas do Ministério do Turismo, no sentido de agilizar a liberação dos recursos.
Vai ser mais difícil agora, decolar a candidatura ao Paiaguás.

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *