SMS alerta sobre vacinação, diante de surto de sarampo no País

Escrito por:
Brasileiros estão expostos agora, a surto de sarampo
(Ilustrativa)

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Rondonópolis faz um alerta para que as pessoas que ainda não tomaram a vacina tríplice viral, que previne contra o sarampo, caxumba e rubéola, procurem uma das Unidades Básicas de Saúde (UBS) na cidade, para serem imunizadas.
A preocupação é a de evitar que casos de sarampo possam ocorrer em Rondonópolis, já que segundo dados do Ministério da Saúde (MS) há surtos da doença identificados em São Paulo, Rio de Janeiro e Pará. Em Mato Grosso nenhum caso foi confirmado até o momento.
Segundo a secretária Municipal de Saúde, Izalba de Albuquerque, é muito importante que as pessoas tomem a vacina contra o sarampo, pois é a única forma de prevenção eficaz contra a doença. “As pessoas precisam estar imunizadas para evitarmos que casos possam ocorrer ou mesmo se propagarem na cidade”, ressalta, acrescentando que diante da situação de surto da doença em alguns estados do País, a população de Rondonópolis deve ficar atenta, “pois a cidade é um entroncamento rodo-ferroviário que registra um grande o fluxo de pessoas de várias partes do Brasil na cidade, que estando com a doença podem transmiti-la, rapidamente”.
A vacina está disponível em todas as UBS do município e a equipe da Vigilância Epidemiológica também está vacinando todos os profissionais que atuam na área de saúde nos hospitais públicos e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).
Contágio e sintomas
O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa, podendo evoluir para complicações graves e óbito. Ela é transmitida por meio de secreções expelidas pelo doente ao falar, tossir ou espirrar.
Os principais sintomas são febre alta, coriza, tosse, conjuntivite, manchas esbranquiçadas na boca e manchas vermelhas pelo corpo.
Quem pode vacinar
A tríplice viral deve ser tomada por crianças acima de seis meses a menores de um ano (em situação de surto); por crianças acima de um ano e população em geral, até os 29 anos (duas doses); para as pessoas acima de 30 anos até os 49 anos (uma dose); e para a população acima de 50 anos até os 59 anos (uma dose em situação de surto).
Não podem vacinar
Crianças com menos de seis meses, gestantes, pessoas em tratamento de câncer e com HIV não podem tomar a vacina. Pessoas acima de 59 anos somente poderão ser vacinadas, após passarem por avaliação médica.
Casos no Brasil
Conforme os dados do Ministério da Saúde atualizado em 2 de agosto, desde o início de 2019 foram notificados 4.226 casos no país, com 907 confirmações. Há ainda 2.740 casos sendo investigados.
Em Mato Grosso os últimos registros de sarampo confirmados ocorreram em 1998 e 1999. Em 2018 e 2019 houve casos suspeitos, mas foram descartados por critério laboratorial.
Não bastasse os sobressaltos pela propagação do vírus  H1N1 (causador da gripe Influenza), lamentavelmente, a população brasileira fica exposta a surto de uma doença que estava erradicada por descaso do governo federal, que parece mais preocupado com questões de seu interesse e não do todo!


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *