Sonegadores na mira do Gaeco e Defaz

Inicialmente, as ações visarão o setor de combustíveis
Inicialmente, as ações visarão o setor de combustíveis

As empresas do setor de combustíveis, que foram incluídas no relatório da CPI da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) sobre sonegação e renúncia fiscal, serão alvo a partir de agora, da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), conforme convocação do governador Mauro Mendes (DEM).
O relatório foi entregue a MM ontem (11) e aponta crimes de sonegação contra o Erário estadual da ordem de R$ 500 milhões anuais, praticados pelas empresas envolvidas.
Outros setores que estão na pauta de investigações da CPI da ALMT, são os do agronegócio, de frigoríficos e de mineração que serão investigados, ainda neste primeiro semestre do ano.
A depender da “guerra” prometida por Mauro Mendes contra os sonegadores, “não vai sobrar pedra sobre pedra”.
Ah, as investigações também são extensivas ao interior de Mato Grosso, onde os cartéis teriam forte atuação, nos setores citados!