Termina na próxima segunda-feira (31), o prazo para a retirada dos valores das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
Até agora, já foram pagos mais de R$ 42,8 bilhões, para 25,3 milhões de trabalhadores.
Segundo a Caixa Econômica Federal (CEF), o montante pago até o dia 19 de julho equivale a 98,33% do total, inicialmente disponível para saque (R$ 43,6 bilhões). O número de trabalhadores que sacaram os recursos das contas do FGTS representa 83,73% das 30,2 milhões de pessoas inicialmente beneficiadas pela medida.
Agora, o saque está liberado para todos os trabalhadores que têm direito ao benefício, não importa a data de nascimento. Pode fazer o saque, quem teve contrato de trabalho encerrado sem justa causa até 31 de dezembro de 2015.
Os trabalhadores podem consultar o saldo a receber, na página da Caixa.
Outra opção, é o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) pelo 0800 726 2017.

(Imagem: Internet)
(Imagem: Internet)

Os salários dos servidores estaduais começaram a ser depositados hoje, pelo Governo de Mato Grosso.
A previsão da Secretaria de Fazenda (Sefaz), é a de que até amanhã às 17 horas, os salários já estejam nas contas de todos os servidores públicos.

Projeto de Russi beneficia servidores (Foto: Secom/ ALMT)
Projeto de Russi beneficia servidores
(Foto: Secom/ ALMT)

Objetivo é assegurar o não pagamento de juros e multas, em caso de alteração no calendário de salário pelo Poder Executivo
Preocupado com o anúncio do Poder Executivo de Mato Grosso, sobre a possível alteração no calendário de pagamento dos servidores estaduais, o deputado Max Russi (PSB) apresentou este mês, Projeto de Lei que dispõe sobre a mudança nas datas de vencimento das contas desses servidores.
O texto da proposição prevê que os servidores, ativos, inativos e pensionistas, que receberem os subsídios depois do dia 05 de cada mês, poderão pagar as contas até dois dias após o efetivo crédito em conta, sem perda de desconto e sem a cobrança de multas ou juros.
“É de conhecimento público a situação delicada em que se encontra a economia nacional, e Mato Grosso não difere da atual crise. O governador Pedro Taques (PSDB) e toda a equipe têm se esforçado para manter os pagamentos em dia, mas já anunciaram que se houver a necessidade o salário, que é pago no último dia útil de cada mês, será transferido para o início do mês subsequente”, declarou Max.
O parlamentar acrescentou que está se adiantando ao apresentar o projeto, pois a valorização do servidor é fundamental para garantir a qualidade na prestação de serviços à população.
“Os servidores públicos são indispensáveis e devem ser valorizados, por isso não podem ser prejudicados em hipótese alguma caso o calendário de pagamentos seja alterado”.
Como a principal preocupação é o pagamento das contas em dia, o objetivo do parlamentar é minimizar o problema, adiando esses vencimentos. “As contas vão chegar e as instituições financeiras não abrirão mão da cobrança de juros e multas nos pagamentos não efetuados na data acordada anteriormente. Precisamos garantir essa segurança aos servidores”, frisou.
Se aprovado o projeto, o servidor poderá, em caso de alteração do recebimento do salário, adiar o vencimento das contas de água, luz, telefone, taxas e tributos estaduais, taxa de condomínio, aluguel e fatura de cartões de crédito.
Alteração do calendário – O secretário-chefe da Casa Civil Paulo Taques, avaliou no início deste mês a possibilidade de alterar a data de pagamento dos servidores, se houver necessidade. Atualmente, os salários são pagos no último dia útil do mês, e se a mudança for feita, os servidores passarão a receber no início do mês subsequente. No momento, porém, o governo trabalha com a possibilidade de receber recursos federais e incrementar a arrecadação de impostos, para que não seja preciso mexer na data de pagamento.
A data da possível mudança ainda não foi definida, mas deve ser no máximo até o dia 10, data limite prevista no artigo 147 da Constituição Estadual. O texto prevê também que, se o pagamento for realizado após o dia 10, o governo tem que pagar os salários com correção pelo atraso.
Com assessoria