Ubaldo Barros esclareceu os questionamentos
(Wheverton Barros)

Para efeito de esclarecer dúvidas quanto à responsabilização de problemas ocorridos na administração e execução do RondonFolia 2017, o vice-prefeito de Rondonópolis Ubaldo Tolentino de Barros (PTB), acompanhado do procurador geral do Município, Anderson Flávio Godoi, e de secretários municipais, esteve ontem pela manhã e também à tarde, na Câmara Municipal, esclarecendo dúvidas dos vereadores a respeito da realização do Carnaval de 2017.
O procurador Anderson Godoi apresentou cláusulas do contrato da empresa vencedora do processo licitatório, que ganhou o direito de explorar o evento economicamente e ficou responsável por realizar os pagamentos das bandas musicais.
Anderson Godoi esclareceu questões relacionadas ao contrato e em relação ao não pagamento da cessão de uso pela empresa, enfatizando que “Um ponto a ser esclarecido, é que durante a realização do evento o contrato estava em vigência. O inadimplemento da empresa ocorreu após evento e vamos cobrar que ela pague ao Município o que deve, e se necessário iremos à Justiça”, explicou.
Godoi aproveitou também para esclarecer uma informação que tem sido divulgada equivocadamente, sobre o edital da licitação. “Há uma informação equivocada de que houve a publicação do edital da licitação e a ocorrência da licitação, no mesmo dia. Isso não é verdade. A publicação da licitação ocorreu no dia 07 de fevereiro, por modalidade de pregão que teria que esperar 15 dias para o certame. O resultado da licitação saiu dia 21 fevereiro e não a convocação como está sendo divulgado por determinados veículos de comunicação. Qualquer cidadão pode confirmar essa informação, no Diário Oficial do Município”, adiantou.
Vice-Prefeito
O vice-prefeito Ubaldo Barros – coordenador geral da comissão do RondonFolia – deixou claro aos parlamentares a sua participação no evento, lembrando aos vereadores que o direito de explorar o evento foi de responsabilidade da empresa Gileno Gomes de Almeida ME, bem como o pagamento de bandas e músicos e que há Portaria comprovando de essa empresa era a responsável pela organização administrativa e logística do evento.
Ubaldo ressaltou também, que não autorizou a contratação de cantores e bandas e que a empresa não conseguiu o lucro almejado com o evento, adiantando ainda que que há documentos que provam os pagamentos pendentes do Carnaval deste ano, cujos valores são de R$ 118.400, contrariando a informação veiculada pela Imprensa, de que seria de R$ 600 mil.
Que disso tudo a atual administração municipal possa tirar exemplo, principalmente o vice-Prefeito Ubaldo Barros, meu particular amigo, de que cada passo e cada ação, têm que ser avaliados com extremo cuidado, porque as tentativas de desestabilizar a gestão do Prefeito Zé Carlos do Pátio (SD), da qual ele faz parte como vice, continuam sendo o principal motivo daqueles que não se conformam em ter sido derrotados nas urnas, nas eleições passadas.  
 

Prefeito interino recebeu vereadores

O vice-prefeito Ubaldo Barros  (PTB) – que passou a responder interinamente pelo Poder Executivo, em razão da licença médica do prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) – recebeu o presidente do Poder Legislativo, vereador Rodrigo Lugli (PSDB) e vereadores na manhã de hoje no Paço Municipal e se colocou à disposição da Câmara de Rondonópolis, reforçando o diálogo entre os dois poderes para um objetivo comum, que é  o bem-estar e a qualidade de vida da população.
Ubaldo lamentou estar recebendo a Prefeitura em uma ocasião delicada, que envolve a saúde do prefeito Zé Carlos do Pátio, e  garantiu que continuará as ações que vinham sendo executadas, no período de 10 dias a 15 dias em que responderá pela Prefeitura de Rondonópolis.
Durante esse período, o prefeito Zé Carlos do Pátio estará de licença para cuidados pessoais e exames, conforme recomendação médica.
Paulatinamente, Ubaldo Tolentino de Barros irá se inteirar das demandas das secretarias e dar seguimento aos projetos da administração municipal.
A posse de Ubaldo Barros no cargo será oficializada amanhã (03), durante a Sessão Ordinária semanal da Câmara Municipal.
Alta médica
Em nota, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, comunicou que o  prefeito Zé Carlos do Pátio recebeu alta médica na manhã de hoje, mas permanece afastado do cargo para se submeter a exames médicos recomendados pelos médicos.
Íntegra da nota:
“O Prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio recebeu alta hospitalar na manhã desta terça-feira (02). Conforme informações do médico Renato Costa Junior, médico cardiologista da Santa Casa, o administrador saiu bem, devidamente medicado e com a solicitação de exames ambulatoriais, para complementação diagnóstica.
Nos próximos dez dias ele seguirá em repouso, cuidando da saúde para plena recuperação, conforme recomendações médicas. O vice-prefeito Ubaldo Barros assumirá oficialmente a Prefeitura de Rondonópolis na próxima quarta-feira, após ser oficializado na sessão plenária de quarta-feira (03)”.

 

carnaval
Capa do projeto

Citado na matéria do blog Estela Boranga comenta na sexta-feira (11), relacionada ao carnaval em Rondonópolis, o vice-prefeito eleito Ubaldo Tolentino de Barros (PTB), manteve contato com a redação e explicou sobre o projeto do Carnaval 2017 (que ainda não tem nome definido).
Segundo as informações por ele repassadas, a continuidade do nome Rondonfolia (que causou críticas pelo blog e por internautas) deveu-se a um descuido de um assessor, bem como o uso da classificação de tradição familiar para um evento festivo noturno de grande envergadura como se pretende, onde o acesso a crianças e adolescentes menores de idade, conforme a Lei, será restrito.
Projeto

Maquete do evento
Maquete do evento

Ubaldo Barros me repassou cópias do projeto que será realizado no pátio de estacionamento do Estádio Luthero Lopes, com três acessos para o público e com animação de duas bandas e dois trios elétricos, cuja segurança ficará a cargo de equipes compostas de 50 profissionais do ramo, que fiscalizarão o acesso – com oito detectores de metais – e o interior do evento.
De acordo com as informações ainda, o evento será de grande envergadura – o que exigiria um número maior de seguranças, creio eu -, com 10 camarotes ( tipo tenda chapéu de bruxa), 30 tendas-quiosques (para venda de bebidas), praça de alimentação em separado e 04 tendas para servirem de camarins e apoio.
Ubaldo Barros salientou que os recursos serão da iniciativa privada (em torno de R$ 200 mil) e que entidades beneficentes e filantrópicas também participarão da venda de alimentos e bebidas aos foliões, nas quatro noites de realização.
Infraestrutura
No projeto, consta a contratação de 30 cordeiros, que na tradição carnavalesca de Salvador (BA), são os responsáveis por segurar a corda nos blocos para separar quem pagou do restante dos foliões, a chamada pipoca; decoração ambiente; sistemas de iluminação e de som ambiente; telão de LED; canhão de luz Skywalker, fogos de artifício e banheiros químicos, para que os foliões façam suas necessidades, dentre outros.
Antes que digam que estou “colocando o carro na frente dos bois”, adianto que a repercussão negativa foi gerada, justamente em decorrência de que o evento foi ventilado pelas redes sociais.
Isso teria sido evitado, se antes de terem tornar público, o projeto tivesse sido alvo de uma coletiva de Imprensa, o que não permitiria dúvidas também ao público.
Daí…