Temer diz duvidar que Rocha Loures faça delação

Escrito por:
Se achando o “rei da cocada preta”
(R7)

Em entrevista à revista Istoé publicada hoje, Michel Temer (PMDB) negou que tenha receio de uma eventual delação do seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, flagrado em vídeo portando uma mala com R$500 mil.
Temer classificou Rocha Loures, como “uma pessoa decente”. “Eu duvido, que ele faça uma delação. E duvido que ele vá me denunciar. Primeiro, porque não seria verdade. Segundo, conhecendo-o, acho difícil que ele faça isso”, afirmou Temer.
Questionado pelo repórter sobre a mala de dinheiro que seu ex-assessor carregava, Temer afirmou achar “surpreendente” e até uma “ingenuidade suprema”. “Não sei a que atribuir isso; se atribuo à ingenuidade suprema, porque o sujeito pegou uma mala numa pizzaria”, disse.
Embora tenha perdido a prerrogativa de foro, após a perda de mandato parlamentar – com o retorno do titular Osmar Serraglio (PMDB-PR), à Câmara dos Deputados -Rocha Loures continua respondendo ao processo no Supremo Tribunal Federal (STF), devido à ligação dos fatos suspeitos sobre Michel Temer.
Polícia Federal
Sobre a troca no comando da Polícia Federal (PF), Temer admitiu que isso possa acontecer, “ caso essa seja a decisão do novo ministro da Justiça, Torquato Jardim. Pode ser que o novo ministro levante os dados todos, que julgar convenientes e venha conversar comigo sobre isso”, afirmou.
Temer, porém, negou que essa mudança seria mal interpretada. “Só seria mal interpretada, se você dissesse assim: só existe uma pessoa na Polícia Federal capaz de comandá-la. Mas isso desmerece a instituição e tenho certeza que o próprio diretor não pensa dessa maneira”, disse, afirmando que não haverá interferências na Operação Lava Jato.
Quatro meses
Segundo projeções de 62% das principais lideranças da Câmara dos Deputados e do Senado, Michel Temer ficará ainda e no máximo, mais quatro meses na Presidência.
De onde Temer tira toda essa certeza, de que esteja imune?
Da Redação com Estadão/Congresso em Foco

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *