Transparência é tudo que se quer

Valores ainda não entraram nos cofres da Prefeitura (Divulgação/PJC)
Compra de equipamento falsos será investigada pela CEI (Divulgação/PJC)

O protocolo de ofício ontem, na Câmara Municipal, para a criação de uma comissão especial de inquérito (CEI) para apurar os processos das aquisições emergenciais de materiais diversos e ventiladores pulmonares pela Prefeitura de Rondonópolis, frente à pandemia de coronavírus, independe por quais vereadores tenha sido feito.
O que realmente importa, é que a CEI vai tomar corpo e trazer à luz da verdade e da transparência, dúvidas que pairam no ar em relação à forma de elaboração dos processos; quais os servidores que os montaram; como se deu a pesquisa de preços na Internet; a escolha das empresas fornecedoras, sobretudo quanto aos ventiladores pulmonares, cuja empresa tinha características que indicavam ser de fachada, não possuía lastro financeiro para assumir uma venda de mais de R$ 4 milhões e o recebimento dos equipamentos falsos, que acabaram descambando para um golpe contra o Erário público municipal.
Acrescente-se aí, os pagamentos quase que instantâneos dos respiradores, apesar da conferência no recebimento ter sido feita por pessoa sem conhecimento suficiente para tanto e a confirmação de que se tratavam dos objetos adquiridos, se ter dado por meio de imagens de telefone celular.
A criação da CEI não seria necessária, se desde o início dos imbróglios a secretária de Saúde Izalba Albuquerque e o prefeito Zé Carlos do Pátio tivessem determinado a realização de sindicância administrativa e, uma vez com os fatos, DEVIDAMENTE apurados, terem vindo a público e esclarecido todas as fases dos processos, tintim por tintim, afastando toda e qualquer dúvida a respeito, já que o aspecto criminal do golpe dos ventiladores pulmonares já foi apurado pela Polícia Judiciária Civil (PJC).
Mas preferiram “remendar” os assuntos e afirmar que os questionamentos da oposição e também de determinados setores da Imprensa, têm por objetivo principal o de se obter dividendos políticos.
Paralelamente, a população de Rondonópolis, principalmente os contribuintes, esperam que a CEI seja aprovada por todos os vereadores e conduzida com a maior lisura possível, para que se possa saber o que realmente aconteceu e que se afaste, definitivamente, a desconfiança de ter sido praticado eventual dolo que até agora se tem a respeito das aquisições emergenciais e que as dúvidas que existem, se fundamentem somente em incompetência.