Vereador quer revisão dos valores cobrados pelo Pátio Rondon

Escrito por:
Silva cobra cobertura para o estacionamento
(A Tribuna MT)

Frente aos altos valores praticados pelo Pátio Rondon, o vereador Thiago Silva (PMDB), cobrou ontem, durante a sessão da Câmara Municipal, que a Prefeitura exija uma revisão dos preços cobrados no valor da diária e dos serviços de remoção, guarda e liberação de motos e veículos, que segundo ele, são discrepantes em relação aos cobrados em outros municípios e pelo próprio Detran MT.
Segundo o parlamentar, desde 2014 a revisão dos preços abusivos praticados pela empresa que explora os serviços do Pátio Rondon, vem sendo cobrada. “Em 2015, depois que cobramos o mesmo assunto, houve uma redução no valor da diária e guincho das motos. Mas ainda assim, os valores continuam exorbitantes comparados a outros municípios e pelo Detran”.
De acordo com ele, a diária do Pátio Rondon chega a ser 200% mais cara, “se comparada com cidades do mesmo porte de Rondonópolis. Além disso, a população reclama da dificuldade encontrada para retirar os veículos, onde há casos que o valor cobrado fica mais caro do que o valor do veículo”.
Além da revisão, Thiago Silva ressalta que vai sugerir à Prefeitura, que o contrato existente entre o município e a empresa, para a exploração dos serviços, seja alterado e que haja parcelamento dos custos das diárias já vencidas, bem como seja feita a cobertura do estacionamento no Pátio Rondon, para que veículos e carros ali estacionados, não fiquem expostos à ação do tempo.
O parlamentar cobra também do município uma intervenção quanto aos horários estipulados para as diárias e o horário de expediente do Pátio Rondon. “Se ocorre uma blitz às 20 horas, o cidadão fica sujeito a pagar a estadia completa, pois as diárias vencem a meia noite. Além disso, também tem que pagar a diária do dia seguinte à apreensão, porque o atendimento no pátio, é feito apenas em horário comercial, das 8h às 11h e das 13h às 17h horas. Isso precisa mudar”, concluiu o peemedebista.

Continue Lendo


Opine aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *