Prefeito defende nomeação de secretários

Os nomeados Godoy e Boher
(Foto-montagem: Folhamax)

Dentro da polêmica – que teve início com a exoneração de Adolfo Grassi de Oliveira, da Secretaria de Saúde, acusado de ter cometido um estupro na década de 80 –  envolvendo nomeações de seu secretariado, o prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), parece ter contornado a questão de acusação de crimes, que sofreram dois outros membros do primeiro escalão da Prefeitura de Rondonópolis.
Nomes
Anderson Flávio Godoy, que assumiu a Procuradoria-Geral do Município (PGM), é um dos réus na “Operação Ventríloquo”, que apura desvio de R$ 9,5 milhões dos cofres da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).
Na época das supostas fraudes, Anderson respondia pela Procuradoria do legislativo estadual. De acordo com a denúncia do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco),  ele teria recebido R$ 50 mil para emitir parecer favorável ao pagamento de uma dívida da Assembleia Legislativa, com o Banco HSBC.
Desde o início das investigações, Anderson nega participação no esquema. A sentença sobre o caso deve sair neste ano. Além do procurador, são réus na mesma ação penal o ex-deputado José Riva, o ex-secretário-geral da Assembleia, Luiz Márcio Bastos Pommot e ainda o advogado Júlio César Domingues Rodrigues.
O segundo denunciado é João Fernando Copetti Boher, titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), que no ano de 2007 foi detido na cidade baiana de Seabra, portando 9,2 quilos de cocaína. Na época da detenção, atuava como agente prisional na penitenciária da Mata Grande, em Rondonópolis.
Boher foi condenado a 7 anos de prisão pelo crime de tráfico de drogas, com extinção da pena no ano passado. Contatado pelo Blog Estela Boranga comenta, conforme matéria (veja aqui), Boher assumiu o erro do passado, mas declarou que estava quites com a Justiça, tendo cursado faculdade, se formado e constituído família, após cumprir a pena.
Defesa
O prefeito defendeu a nomeação dos dois secretários, justificando que confia que Anderson Godoy provará a inocência das acusações do Gaeco.
Sobre Boher, Zé Carlos do Pátio assinala que ele está apto a exercer o cargo, enfatizando que o secretário exercia a função de gerente de Fiscalização na Semma, na gestão anterior.
Com Folhamax

Um comentário em “Prefeito defende nomeação de secretários

  • 07-01-17 a 16:41
    Permalink

    Rondonópolis tem, seguramente, mais de 500 profissionais do direito, dentre eles, bons advogados. Essa do Zé ir buscar um “estrangeiro” para ocupar o cargo de Procurador Geral está, salvo melhor juízo, cheirando a “agradecimento à família Riva por provável apoio político”.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *