Professores interinos acampam na Assessoria Pedagógica

Professores querem receber pela reposição

Desde a tarde de ontem, cerca de 50 professores interinos da Rede Estadual de Ensino em Rondonópolis, estão acampados de modo pacífico nas dependências da Assessoria Pedagógica (AP), localizada ao lado do Ginásio de Esportes Marechal Rondon, no centro da cidade.
Motivo
O motivo da manifestação, é que eles não aceitam repor as aulas que não foram dadas durante a greve da categoria no ano passado, sem que haja pagamento por isto.
O vínculo empregatício deles com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), cessou no dia 23 de dezembro passado. “A obrigação do interino com a contratante, se encerrou no término do vínculo. Não somos obrigados a repor as aulas, uma vez que a greve foi julgada legal pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso”, ressaltaram os manifestantes.

Interinos acamparam na AP

Pagamento
Outro ponto questionado, refere-se ao fato de que os professores efetivos estão repondo as aulas e recebendo normalmente, seus salários. “Claro que é uma situação diferenciada. Entretanto, por que exigir que nós tenhamos que repor as aulas, sem o devido pagamento? ”, questionam.
Coação
Os interinos denunciam que estão sendo alvo de coação pelo governo do Estado, que já avisou que não irá firmar contrato com aqueles que não forem repor as aulas e que está contratando substitutos, para a reposição. “Se a Seduc tem dinheiro para pagar substitutos, por que insiste em não nos pagar? “, indagaram.
Providências
A assessoria jurídica do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), está tentando fechar um acordo com a Seduc, para que o impasse seja resolvido de forma positiva aos interinos.
Fotos: Juvenildo Batista de Souza

2 comentários em “Professores interinos acampam na Assessoria Pedagógica

  • 12-01-17 a 07:29
    Permalink

    Estamos sendo humilhados,como se professor não fosse importante o governo do estado desviou da pasta da educaçao mais de 60 milhões e ninguém fez nada,agora somos nos que pagamos por isso,todos nos queremos trabalhar somos pessoas honesta temos familia pra sustentar contas pra pagar e agora vamos trabalhar de graça pro estado tirar dinheiro do nosso bolso, pagar pra trabalhar ,um abusrdo um abuso de autoridade estão nos ameaçando nos coagindo isso é uma verdaderia ditadura.

    Responder
  • 12-01-17 a 09:36
    Permalink

    No interior do mato grosso. Aqui em primavera por exemplo, secretário escolares foram instruídos. Em broquearem os diários eletrônicos aos professores que não assinarem o novo contrato redigido segundo as ordens da seduc. Ou seja segundo o contrato os professores contratados terão que trabalhar de graça..

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *